IMPROBIDADES RECORRENTES 2

IMPROBIDADES RECORRENTES 2

Prefeito de Manga dispensa de licitação escritório que atuou na campanha eleitoral para livrá-lo da inexigibilidade O prefeito de Manga,…

More...
UM SÉRGIO MORO NO SERTÃO?

UM SÉRGIO MORO NO SERTÃO?

 Quem é o juiz que tira o sono de políticos no extremo Norte de Minas  Atual titular da 2ª Vara…

More...
ENTRE A CRUZ E A CALDEIRINHA

ENTRE A CRUZ E A CALDEIRINHA

Prefeito de Manga evita críticas a juiz após segunda condenação à perda do mandato Uma clara mudança de atitude marca…

More...
OPOSIÇÃO LEVA BÔNUS, PREFEITO FICA COM ÔNUS

OPOSIÇÃO LEVA BÔNUS, PREFEITO FICA COM ÔNUS

Vereadores aprovam projetos que criam despesas, mas  rejeitam proposta para suposta redução de gastos      Imagem: Clever Inácio -…

More...
QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

Numa única sentença, juiz decreta duas novas perdas do cargo para prefeito de Manga >> Dispensa de licitação em contratos…

More...
JUIZ GARANTE LIBERDADE DE IMPRENSA E EXPRESSÃO AO EDITOR DESTE 'EM TEMPO REAL'

JUIZ GARANTE LIBERDADE DE IMPRENSA E EXPRESSÃO AO EDITOR DESTE 'EM TEMPO REAL'

Justiça nega indenização por danos morais a uma filha do vice-prefeito de Manga  O vice-prefeito Luiz Fogueteiro e a filha…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.
Imprimir

DINHEIRO DESVIADO RETORNA PARA SAÚDE

No 26 Maio 2017.

Em iniciativa inédita na região, recursos devolvidos por Corby são revertidos na compra de imóvel para consórcio de saúde

Enquanto a opinião pública pátria entope as redes sociais com a indignação com os termos da delação premiada oferecida à dupla de açougueiros goianos Joesley e Wesley Batista, por conta do acordo que permitiu à dupla ir morar no exterior e ainda levar jatinho e iate para curtir a vida de bilionários, a Comarca de Januária dá bom exemplo de uso de recursos tomados de gatunos do dinheiro público.

O caso que se vai relatar aqui é bem mais modesto, decerto, do que os números na escala dos bilhões que se ouve por aí, mas tem o mérito de ter antecedido a operação Lava Jato e todo o simbolismo que representa como força motriz para o ansiado fim da corrupção no país. A corrupção não vai acabar, pois a missão é impossível, mas tem muita gente por aí que se achava acima do bem e do mal e foi obrigada a passar uma temporada atrás das grades e ainda ser obrigado a devolver o que surrupiou dos cofres públicos.

Um dos predecessores de gente rica na cadeia, o empresário januarense Marcus Vinicius Crispim, o Corby, assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público em novembro de 2014, quando se comprometeu com a devolução de nove imóveis e 20 veículos adquiridos por valores que teriam sido desviados de esquemas de licitações fraudulentas em prefeituras do Norte de Minas, com valor estimado de R$ 10 milhões.

No início deste mês de maio, os juízes Bárbara Lívio, Juliano Carneiro Veiga, Karen Castro dos Montes e David Pinter Cardoso deram destinação mais útil à parcela do valor devolvido por Corby com o anúncio da doação de imóvel avaliado em R$ 1 milhão terreno de 1,1 mil m², no bairro São Vicente, na região norte de Januária, para servir de sede ao Consócio Intermunicipal de Saúde do Alto Médio do São Francisco (Cisamsf). Os juízes colaboradores ainda autorizaram a aquisição de cinco veículos – avaliados em R$ 160 mil. Quatro deles serão destinados para o município de Itacarambi e um para o de Cônego Marinho. A iniciativa é inédita na região e envolveu parceria do Judiciário e do Ministério Público de Januária.

'Relevância histórica'

Corby foi preso em maio de 2013 e respondeu a ação criminal movida pelo Ministério Público, que terminou com reversão dos desvios de recursos públicos das prefeituras de Itacarambi, Cônego Marinho, São João da Ponte e Patis. Em fala ao site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o promotor de justiça Franklin Reginato destacou o pioneirismo da iniciativa da devolução dos bens desviados em ações criminosas no Norte de Minas.

Para a juíza titular da 2ª Vara da Comarca de Januária, Bárbara Lívio, a iniciativa tem “relevância histórica” e marca mudança de estrutura, uma vez que não há apenas a coibição de atos de improbidade, mas o efetivo retorno dos bens que foram desviados em benefício da população, minorando o prejuízo à sociedade.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar