BR-135: COMÍCIO DE ARLEN TERMINA EM FIASCO

BR-135: COMÍCIO DE ARLEN TERMINA EM FIASCO

Paulo Guedes reage à tentativa de adversários em assumir paternidade do asfalto entre Montalvânia e Monte Rei  O risco negro…

More...
PIORA DA CRISE HÍDRICA AFETA IRRIGAÇÃO NO VELHO CHICO

PIORA DA CRISE HÍDRICA AFETA IRRIGAÇÃO NO VELHO CHICO

ANA adota Dia do Rio e suspende captações no São Francisco todas as quartas-feiras até o final de novembro A…

More...
CRISE A PERDER DE VISTA

CRISE A PERDER DE VISTA

A face mais feia desta crise que avança por 12 trimestres consecutivos começa a se manifestar com mais força. Nos…

More...
JUSTIÇA ÀS FAVAS

JUSTIÇA ÀS FAVAS

O bloco dos napoleões vencidos atiça as redes sociais desde que a Justiça Eleitoral resolveu, por vontade própria, assumir a…

More...
UMA PONTE BEM MAIS LÁ PRO FUTURO II

UMA PONTE BEM MAIS LÁ PRO FUTURO II

Conexão entre Malhada e Carinhanha, ponte Guimarães Rosa mostra que sonho dos manguenses é possível  Conhecida como ponte da integração,…

More...
MANGA: UMA PONTE BEM MAIS LÁ PRO FUTURO

MANGA: UMA PONTE BEM MAIS LÁ PRO FUTURO

Em audiência patrocinada pelo Judiciário, lideranças regionais debatem construção de ponte sobre o Rio São Francisco [ATUALIZADO] - O olhar…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.
Imprimir

ASFALTO DA BR-135 AVANÇA EM DIREÇÃO À BAHIA

No 04 Junho 2017.

Conclusão dos trechos entre Monte Rei/Montalvânia e Cocos divisa com Minas é bom sinal, mas obra segue parada em Manga

 

Placa com detalhes do contrato e o canteiro de obras entre Cocos e a divisa com Minas, em Pitarana

A pavimentação da BR-135 avança aos trancos e barrancos desde que o então ministro dos Transportes Paulo Sérgio Passos visitou os municípios de Manga e Montalvânia, no extremo Norte de Minas, em 2010, horas antes de um jogo da seleção brasileira durante a Copa do Mundo da África do Sul. Desde então, o asfalto entre Itacarambi e a divida com o Estado da Bahia patina em idas e vindas.

A boa notícia é a conclusão do subtrecho de 18,4 quilômetros entre o povoado de Monte Rei e Montalvânia, suspensa desde o final de 2011, quando a primeira empresa vencedora da licitação, a SPA Engenharia, desistiu do contrato assinado com o Ministério dos Transportes e deixou a região sem sequer concluir a fase de terraplanagem da rodovia. A empresa Ethos A Ethos Engenharia de Infraestrutura S.A, de Belo Horizonte, assumiu a obra em julho do ano passado e agora finaliza os detalhes antes da entregá-la ao Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (DNIT).

O subtrecho da BR-135 entre Manga e a divisa com a Bahia ficou pronto com seis anos de atraso, com a conclusão em curso do subtrecho Montalvânia/Monte Rei. A boa notícia é que, do lado baiano, a obra também avança com o início da pavimentação entre a divisa com Minas Gerais, na altura do povoado de Pitarana, município de Montalvânia, e a cidade de Cocos. A empresa Top Engenharia, de Salvador, ganhou a licitação e ficou responsável pelo asfaltamento do subtrecho até Cocos, com extensão de 22,9 quilômetros. A obra, que tem custo previsto de R$ 77 milhões deveria ter sido concluída no último mês de abril.

Reserva indígena

Os serviços de elaboração dos projetos básico e executivo de engenharia e das obras na rodovia tiveram início há pouco mais de um mês e estão em ritmo avançado. Trata-se de avanço importante, mas ainda distante do sonho acalentado há mais de 30 anos pelo asfaltamento da BR-135, que em seu traçado original liga Belo Horizonte a São Luís, capital do Maranhão.

O avanço das obras de pavimentação da rodovia federal em direção à Bahia é positivo. Na direção oposta, a partir de Manga rumo a Januária, onde há uma ponte sobre o Rio São Francisco, entretanto, a obra não tem previsão de retomada.

Um pequeno trecho se 35 quilômetros entre Manga e o povoado de Rancharia, em Itacarambi, segue sem licitação para a escolha da empresa responsável pela obra e sob ameaça de não continuidade porque atravessa um pequeno pedaço de reserva indígena, na altura do município de São João das Missões.

A suposta existência de um sítio destinado a cemitério da etnia Xakriabás trava a continuidade da pavimentação da rodovia no trecho mineiro. A paternidade da obra foi encampada pela turma ligada ao senador Aécio Neves (PSDB) na cena regional depois da implosão do PT do deputado estadual Paulo Guedes, que historicamente havia se posicionado como padrinho da rodovia.

Comentários  

0 #1 Marcus Mota 04-06-2017 21:43
Se eu sair de Januária, vai dar pra ir pro sul da Bahia por Montalvânia. cara, é hard sair de januária, vir pra montes claros e subir de novo.
Citar

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar