TERREMOTO EM ITACARAMBI: 10 ANOS DEPOIS

TERREMOTO EM ITACARAMBI: 10 ANOS DEPOIS

Vítimas do tremor de terra viram sua vida mudar pouco após tragédia O repórter Luiz Ribeiro traz à nossa fraca…

More...
PREFEITO DEMITE 100 PRÓXIMO AO NATAL

PREFEITO DEMITE 100 PRÓXIMO AO NATAL

Quinquinha alega falta de recursos para justificar demissão coletiva, que ajudaria a fechar a folha de dezembro Um presente de…

More...
NA DEFESA, QUINQUINHA PARTE PARA O ATAQUE

NA DEFESA, QUINQUINHA PARTE PARA O ATAQUE

Prefeito alega fraude em votação e suspeição de vereadora entre argumentos para barrar denúncia de improbidade  Volumes com as cerca…

More...
O JUS SPERNEANDI DE QUINQUINHA

O JUS SPERNEANDI DE QUINQUINHA

Prefeito entrega defesa prévia à Câmara, que tem agora 10 dias para arquivar ou levar acusação de improbidade adiante  Quinquinha…

More...
DEMOROU, MAS ERA DIA

DEMOROU, MAS ERA DIA

Câmara de Manga aceita denúncia e Quinquinha pode ser cassado por improbidade administrativa  Imagem: Clever Inácio - www.norticias.com.br        …

More...
FALTOU PANO PRA MANGA?

FALTOU PANO PRA MANGA?

Oposição alivia para Quinquinha, o ímprobo, e Luiz do Foguete vê o cavalo para o poder passar arreado A primeira…

More...
IMPROBIDADES RECORRENTES 2

IMPROBIDADES RECORRENTES 2

Prefeito de Manga dispensa de licitação escritório que atuou na campanha eleitoral para livrá-lo da inexigibilidade O prefeito de Manga,…

More...
QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

Numa única sentença, juiz decreta duas novas perdas do cargo para prefeito de Manga >> Dispensa de licitação em contratos…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.
Imprimir

ASFALTO DA BR-135 AVANÇA EM DIREÇÃO À BAHIA

No 04 Junho 2017.

Conclusão dos trechos entre Monte Rei/Montalvânia e Cocos divisa com Minas é bom sinal, mas obra segue parada em Manga

 

Placa com detalhes do contrato e o canteiro de obras entre Cocos e a divisa com Minas, em Pitarana

A pavimentação da BR-135 avança aos trancos e barrancos desde que o então ministro dos Transportes Paulo Sérgio Passos visitou os municípios de Manga e Montalvânia, no extremo Norte de Minas, em 2010, horas antes de um jogo da seleção brasileira durante a Copa do Mundo da África do Sul. Desde então, o asfalto entre Itacarambi e a divida com o Estado da Bahia patina em idas e vindas.

A boa notícia é a conclusão do subtrecho de 18,4 quilômetros entre o povoado de Monte Rei e Montalvânia, suspensa desde o final de 2011, quando a primeira empresa vencedora da licitação, a SPA Engenharia, desistiu do contrato assinado com o Ministério dos Transportes e deixou a região sem sequer concluir a fase de terraplanagem da rodovia. A empresa Ethos A Ethos Engenharia de Infraestrutura S.A, de Belo Horizonte, assumiu a obra em julho do ano passado e agora finaliza os detalhes antes da entregá-la ao Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (DNIT).

O subtrecho da BR-135 entre Manga e a divisa com a Bahia ficou pronto com seis anos de atraso, com a conclusão em curso do subtrecho Montalvânia/Monte Rei. A boa notícia é que, do lado baiano, a obra também avança com o início da pavimentação entre a divisa com Minas Gerais, na altura do povoado de Pitarana, município de Montalvânia, e a cidade de Cocos. A empresa Top Engenharia, de Salvador, ganhou a licitação e ficou responsável pelo asfaltamento do subtrecho até Cocos, com extensão de 22,9 quilômetros. A obra, que tem custo previsto de R$ 77 milhões deveria ter sido concluída no último mês de abril.

Reserva indígena

Os serviços de elaboração dos projetos básico e executivo de engenharia e das obras na rodovia tiveram início há pouco mais de um mês e estão em ritmo avançado. Trata-se de avanço importante, mas ainda distante do sonho acalentado há mais de 30 anos pelo asfaltamento da BR-135, que em seu traçado original liga Belo Horizonte a São Luís, capital do Maranhão.

O avanço das obras de pavimentação da rodovia federal em direção à Bahia é positivo. Na direção oposta, a partir de Manga rumo a Januária, onde há uma ponte sobre o Rio São Francisco, entretanto, a obra não tem previsão de retomada.

Um pequeno trecho se 35 quilômetros entre Manga e o povoado de Rancharia, em Itacarambi, segue sem licitação para a escolha da empresa responsável pela obra e sob ameaça de não continuidade porque atravessa um pequeno pedaço de reserva indígena, na altura do município de São João das Missões.

A suposta existência de um sítio destinado a cemitério da etnia Xakriabás trava a continuidade da pavimentação da rodovia no trecho mineiro. A paternidade da obra foi encampada pela turma ligada ao senador Aécio Neves (PSDB) na cena regional depois da implosão do PT do deputado estadual Paulo Guedes, que historicamente havia se posicionado como padrinho da rodovia.

Comentários  

0 #1 Marcus Mota 04-06-2017 21:43
Se eu sair de Januária, vai dar pra ir pro sul da Bahia por Montalvânia. cara, é hard sair de januária, vir pra montes claros e subir de novo.
Citar

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar