Bloco de Notas

Imprimir

A ESTREIA OVER DE MADAME MUNIZ

No Segunda, 02 Fevereiro 2015 10:08.

Deputada apela ao folclórico na tentativa de não passar despercebida no debut no Parlamento

A primeira-dama de Montes Claros e deputada federal Raquel Muniz (PSC-MG), primeira mulher do Norte de Minas a pisar, pela via do voto, o chão do parlamento brasileiro, apelou para as cores fortes do capacete de catopés em tentativa de sair da linha d’água que reserva o anonimato já durante a cerimônia de posse na Câmara dos Deputados.

O adereço usado por Raquel na posse foi encomendado à estilista Danielle Chaves, reconhecida por sua experiência em paramentar os mestres da tradição catopês, dança folclórica que anima as chamadas festa de agosto em de Montes Claros, no Norte de Minas, e uma espécie de derivação local das congadas e dos maracatus. Belo
espetáculo, mas referência talvez pouco adequado para a ocasião que Raquel Muniz vivenciou neste domingo.

Há quem pense o contrário, mas é certo que Raquel errou na mão e pode ter misturado alhos com bugalhos. Não que não tenha precedentes, pois o Congresso já recebeu parlamentares paramentados como vaqueiros e outras esquisitices, mas o fato de abrigar o palhaço Tiririca (PR-SP), não quer dizer que ‘se cobrir, via circo’, como cantou Benito Di Paula.

O tom festivo com que madame Muniz chega ao Congresso não condiz com a investigações que o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) leva adiante sobre denúncias de abuso de poder contra o seu marido e prefeito de Montes Claros, Rui Muniz (PRB), e a própria deputada. A Justiça Eleitoral vê “indícios e elementos de prova suficientes” para a abertura de processo de cassação do mandatos de ambos. De acordo com a ação, os dois teriam usado a estrutura do município para beneficiar a campanha da candidata.

Raquel Muniz parece empenhada em não ser mais um rosto na multidão na Câmara dos Deputados, por isso o apelo à estreia colorida. Se a estratégia é válida, o tempo vai dizer, mas de concreto há histórico de que parlamentares folclóricos não passam do limite a que se impõem. As fitas coloridas dos catopês chamou a atenção de uma rede de TV, e houve até quem confundisse o modelito over da primeira-dama de Montes Claros com vestimenta indígena, mas não passou disso.

Imprimir

ELE TEM A FORÇA

No Domingo, 18 Janeiro 2015 13:55.

Presidente eleito da Amams, petista César Emílio quer levar o governador Pimentel para a sua posse

Imagem: http://www.connect.com.br/

O novo presidente da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), o prefeito de Capitão Enéas, César Emílio (PT), articula com o Palácio Tiradentes a vinda do governador de Minas, o também petista Fernando Pimentel, para participar da sua posse no cargo, logo no início de fevereiro. Se a visita for confirmada, será a primeira de Pimentel ao Norte de Minas após a eleição, agora já investido na condição de governador de todos os mineiros - o que ressalta a deferência para com o correligionário e futuro titular da Amams.

A presença do governador teria peso simbólico para sinalizar a importância com que o Governo de Minas vai tratar a principal entidade municipalista da região – além, e não menos importante, de repetir gesto semelhante feito pelo ex-governador Antonio Anastasia (PSDB), quando da posse do agora ex-presidente da entidade e prefeito de Mirabela, Carlúcio Mendes (PSB), há quase dois anos. Gesto simbólico, também, para desmontar a vinculação quase umbilical que a associação teve com  os governos tucanos, no período em que esteve sob o comando do ex-prefeito de Patis Valmir Morais (PTB), aquele que chegou ao extremo de dar o nome do pai do senador Aécio Neves ao auditório da entidade.  

Quem articula a ida ainda não confirmada de Pimentel a a Montes Claros é o deputado estadual Paulo Guedes, que aproveitaria a presença do governador na cidade para assumir oficialmente o cargo na Secretaria de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas (Sedinor). A solenidade, turbinada com a presença de Pimentel, seria indicativo do apreço que o governo tem para com a região. A conferir se o governador abre espaço na agenda para prestigiar os companheiros do Norte.

Imprimir

TEMPORADA DE OCUPAÇÃO IV

No Sexta, 16 Janeiro 2015 10:31.

Vem aí a metamorfose do sindicalista Zé Gomes

Imagem: perfil no Facebook

[ATUALIZADO] - O manguense José Gomes Filho (PT) deixa momentaneamente o estilo despojado para fazer pose com indumentária de perfil mais executivo e sisudo, por assim dizer, enquanto aguarda a confirmação do seu nome para o comando da Superintendência Regional de Ensino de Montes Claros. Coordenador sub-sede do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sind-Ute) em Montes Claros, o sindicalista Gomes é um dos nomes cotados para assumir o órgão, que ainda é alvo da cobiça do também petista Roberto Torres, o Robertão de Bocaiuva, e da educadora Marilene Lima dos Santos, nome da preferência dos militantes vinculados ao Sind-Ute no município. Gomes leva a vantagem de ser o nome de colete do deputado estadual e agora secretário de Estado Paulo Guedes (PT).

Outro nome no páreo é o da inspetora de ensino Isete Martins, que é ligada ao ex-prefeito de Janaúba Benedito Nunes (PT), e corre, até aqui em faixa própria. A inflação de nomes para comandar a principal regional da Educação no Norte de Minas abre espaço, claro, para muitas especulações. Uma delas é a de que o ex-prefeito Benedito tem zero chance de emplacar uma aliada sua para a SRE de Montes Claros, já que também que dar palpites na indicação para a sede de Janaúba.

Se for o escolhido para o cargo, Zé Gomes, que na foto acima faz pose à Barack Obama, vai mesmo passar por mudança radical: abandona o tradicional figurino de passeata com que animou as greves do setor e as campanhas eleitorais petistas na região para adotar vestimenta mais clássica e adequada ao ar-condicionado do gabinete da SRE em Montes Claros. A definição dos nomes dos futuros superintendentes regionais de educação para as sedes de Montes Claros, Januária, Janaúba e Pirapora deve sair na próxima semana, após os nomes sugeridos por políticos e sindicato passarem pelo crivo da secretária de Estado de Educação, Macaé Evaristo.

Imprimir

TEMPORADA DE OCUPAÇÃO III

No Quinta, 15 Janeiro 2015 08:12.

Tadeuzinho nomeia assessor para Conselho de empresa ligada à Sedru

Com informações do Blog do jornalista Oliveira Júnior

Nem bem assumiu o cargo de secretario de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru), o deputado Tadeu Martins Leite, o Tadeuzinho (PMDB), já nomeou o jornalista e assessor parlamentar Edmilson Guimarães de Amorim, o Xuxa, para ocupar uma das vagas do Conselho de Administração da Companhia de Habitação (Cohab) de Minas Gerais. Edmilson, que até aqui atuava como assessor de imprensa do deputado Tadeuzinho, tomou posse na sexta-feira (9), em Belo Horizonte. A Cohab é vinculada à Sedru, que Martins só vai assumir no inicio de fevereiro.

Edmilson ‘Xuxa’ Guimarães contou ao jornalista Oliveira Júnior que a Cohab prepara novo levantamento sobre o déficit por moradia e relação de conjuntos habitacionais em construção no Norte de Minas. Não se conhece qual é a experiência do jornalista na área, mas isso é de somenos – Tadeuzinho precisa de alguém de sua estrita confiança no entorno da Cohab. Guimarães vai receber cerca de R$ 1,5 mil por cada reunião que participar no Conselho, que, normalmente faz um encontro a cada mês.

Filiado ao PMDB, o novo conselheiro da Cohab Minas chegou a ser um rosto muito conhecido dos norte-mineiros nas décadas de 1980/90, quando foi repórter da repetidora da Rede Globo em Montes Claros. Mais recentemente, ele também atuou na TV Alterosa/SBT. A atuação como jornalista televisivo deu a Xuxa bom conhecimento, ainda que na condição de espectador, da realidade regional. Realidade sobre a qual ele agora pode interferir com bons conselhos sobre onde e como a Sedru de Tadeuzinho deve priorizar suas interferências na paisagem sertaneja para erguer moradias populares.

Imprimir

SUCESSÃO NA AMAMS

No Terça, 13 Janeiro 2015 12:33.

Por aclamação, petista vai comandar entidade pelos próximos dois anos

[TEXTO ATUALIZADO] -  Terminou agora há pouco, no auditório Aécio Cunha, em Montes Claros, a eleição que aclamou o prefeito de Capitão Enéas, César Emílio Lopes (PT), para o comando da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams). César assume com o discurso alinhavado da defesa do semiárido, com a promessa de comandar frente de reivindicação pela conclusão de obras destinadas à convivência com a seca na região, casos das barragens de Berizal e Congonhas - que se arrastam por décadas na burocracia e falta de representatividade regional.

Esta é primeira vez que um petista vai ocupar o cargo de presidente da entidade que reúne prefeituras do Norte de Minas, no que sinaliza o início da série de mudanças em curso após a derrota do grupo ligado ao senador Aécio Neves (PSDB) nas últimas eleições estaduais. César Emílio substitui Carlúcio Mendes Leite (PSB), que volta a se dedicar em tempo integral ao cargo de prefeito de Mirabela.


A eleição, que não foi lá muito concorrida, tinha chapa única que resultou de acordo comandado pelo deputado estadual Paulo Guedes (aqui). O petista, por sinal, apareceu por lá no final do encontro: foi marcar presença na tomada de território com o qual sonhava há pelo menos duas sucessões na entidade, tradicionalmente vinculada ao partido ocupante do Palácio Tiradentes.

Cerca de 65 prefeitos passaram no auditório da Amams, mas apenas 57 deles tiveram direito a voto. Outros cinco prefeitos (Lontra, Patis, Francisco Sá, Urucuia e Ninheiras) anunciaram filiação à entidade a partir deste mês. Representantes de pelo menos três municípios foram impedidos de votar por inadimplência com a associação.

O petista César Emílio corria por fora na fase que antecedeu o acordo para montagem da chapa única. O nome mais cotado para levar a disputa era o do prefeito de São Francisco, Luiz Rocha Neto, o Luizinho (PMDB), além do cristão-novo Edmárcio de Moura Leal, o Edmárcio da Sisan (PSC), prefeito da pequena Matias Cardoso – que também ensaiou alguns passos para assumir a entidade. Ambos, Luizinho e Edmárcio, terão cargos de vice-presidente na mesa diretora que assume a entidade pelos próximos dois anos. Edmárcio abriu mão de ir para a disputa com a promessa de que será o futuro presidente da Associação.