Artigos

Imprimir

COM QUE ROUPA...

No 10 Outubro 2017.

A abertura da comissão processante contra o prefeito de Manga, Quinquinha do Posto Shell (PPS), engatou a segunda marcha com a leitura, na manhã da segunda-feira (9), da ata com uma espécie de roteiro que a Câmara Municipal deverá seguir durante os próximos 90 dias.

O assunto ainda não entrou na ordem do dia das preocupações da população local, embora o recorde de acessos das notícias relacionadas ao tema aqui no site mostre que tem muita gente atenta ao tema.

Seja como for, o vice-prefeito Luiz do Foguete (PRB) e sua mulher, a dona de casa Telma Caíres, os dois ainda na fase de deslumbre pelo status que ganharam na cena local desde a posse, têm sido abordados por populares nas ruas, ainda que em tom de brincadeira, sobre as possibilidades que se abrirão com o afastamento de Quinquinha.

Segundo relato repassado ao site por fonte que pede para não ser identificada, dia desses um gaiato perguntou para Luiz do Foguete se ele já havia comprado o terno para a nova posse. O vice, que mantém suas juras de fidelidade ao titular do cargo, levou na esportiva:

- Está bem guardado -, teria respondido o vice, sem esconder que já pode ter sido mordido pela mosca azul da expectativa do poder.

Esse tipo de postura, claro, tira Quinquinha do sério. Ainda assustado com a abertura da comissão processante na Câmara na semana passada, fato político que ele desprezou, apesar de não ter maioria na Casa, o prefeito teria dito para um assessor:

- Será que vou ter que entregar a Prefeitura para esse Luiz do Foguete?, teria dito o prefeito, sem esconder a perplexidade diante do rumo que as coisas começa a tomar e em tom que antecipa a dificuldade para lidar com a cassação, que, por enquanto, ainda é mera possibilidade.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar