Artigos

Imprimir

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS

No 26 Novembro 2017.

A curriola de Michel Temer no PMDB expulsou, na semana passada, a senadora Kátia Abreu (Tocantins) das fileiras do partido. Kátia foi ministra da Agricultura nos estertores do governo Dilma Rousseff, aquele de péssima memória, e talvez agora se decida por assinar sua ficha de filiação ao PT, onde estará próxima da ex-presidente, de quem se tornou amiga e confidente.

Ao ponto mesmo de simular algum tipo de lealdade no episódio em que Dilma rolou escada abaixo do Palácio do Planalto, naquele golpe parlamentar bem conduzido pelos seus pares no peemedebismo.

A medida, no entanto, não torna o PMDB melhor. O partido que um dia foi de Tancredo Neves e Ulisses Guimarães tem nos seus quadros notórias figuras que tem ficha corrida em lugar de biografia política e nem por isso age na direção de uma depuração. Nem poderia. O que dizer sobre o partido que não expulsou Geddel Vieira Lima, pego com a fortuna de R$ 51 milhões escondidos no 'bunker' em Salvador?

Ex-presidente do PMDB, o também senador Renan Calheiros (Alagoas) foi uma das raras vozes a criticar a decisão do Conselho de Ética do PMDB, com o argumento de a meidoda foi ato extremo que contraria a história e práticas políticas partido. Pois é.

Renan e Kátia Abreu têm algo em comum. Não passa semana sem o alagoano descer a lenha no governo Michel Temer, além de sua aproximação com o lulo-petismo para futura aliança na sucessão de Alagoas.

Por que Michel Temer e sua turma barra pesada não faz o mesmo com Calheiros. Seria porque o alagoano não tem o mesmo perfil light de Kátia Abreu e pode se transformar no próximo homem-bomba a trazer à tona os segredos da rapaziada?

Comentários  

-1 #1 Antonio Araujo. 26-11-2017 13:21
As três facções mais temidas deste país eram: CV, TC, e PCC; hoje as quatro facções e quadrilhas mais temidos/poderosas são:" PT, PMDB, PP e PSDB... eleitos pela maioria ou pela proporção. Triste!!!!!!!!!!!!
Citar

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar