Destaques

Imprimir

MAIS R$ 14 BILHÕES PARA O FUNDEB

No Domingo, 06 Janeiro 2013 15:10.

Governo federal estima que valores do Fundeb terão incremento de 13,9% para 2013

Da Agência CNM

A receita estimada do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para o exercício de 2013 é 13,9% maior que a de 2012. Os valores foram publicados no Diário Oficial da União (DOU), por meio da Portaria Interministerial 1.496, de 28 de dezembro de 2012.

De acordo com a Portaria, a receita total do Fundo estimada para este ano é de R$ 116,8 bilhões, sendo R$ 107,1 bilhões a soma das contribuições de estados, Distrito Federal e municípios e R$ 9,7 bilhões de complementação da União aos mesmos nove Estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pará, Pernambuco e Piauí.

Essa previsão corresponde a um aumento de R$ 14,2 bilhões ou de 13,9% para 2013 em relação à estimativa corrigida para 2012 no último dia do ano. O valor mínimo nacional por aluno/ano também foi estimado na Portaria. Em 2013, o valor previsto é de R$ 2.243,71, correspondendo a um aumento de 7,0% ao estimado para 2012 em dezembro de 2011, que foi de R$ 2.096,68, e 20,6% maior do que o valor corrigido em dezembro de 2012, que ficou em R$ 1.867,15.

Cronograma da complementação

Imprimir

FINANÇAS PESSOAIS

No Domingo, 06 Janeiro 2013 14:47.

Pagar impostos à vista evita começar o ano no vermelho


Kelly Oliveira - Agência Brasil

Começa o ano e é hora de os brasileiros encararem os gastos extras com impostos e material escolar. Para não ficar no vermelho, é preciso planejamento e organização, e assim fechar as contas. Quem conseguiu guardar receitas extras, como o décimo terceiro salário e as férias, uma orientação é pagar à vista o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e o Imposto sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU).

O professor de Finanças da Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap), Marcos Crivelaro, lembra que os estados e municípios oferecem desconto no caso de pagamento à vista desses impostos, que pode variar de 3% a 8%. Mas se a reserva não for suficiente para cobrir outras despesas, como com material escolar e uniforme, a orientação de Crivelaro é procurar grandes redes que parcelam as compras.

A dentista Luana Galan, 54 anos, conta que divide as compras em, no máximo, três parcelas. “Minhas compras são todas programadas. Já comprei grande parte dos materiais em dezembro antes de sair de férias. Comprei os livros em sebos por serem mais baratos. Agora que voltamos de férias vamos comprar apenas o que está faltando”, diz.

A administradora Adina Teixeira, 47 anos, garante que vale a pena comprar no sebo. Segundo ela, os livros que precisava comprar irão custar cerca de R$ 1 mil em livrarias. “Fui ao sebo, levei os livros velhos e tive desconto de R$ 60. Paguei menos de R$ 500 no total e ainda dividi em três vezes no cartão”, conta.

Já a fisioterapeuta Geovana Cordeiro, 44 anos, prefere guardar o dinheiro para as compras do material escolar das filhas. “Eu guardo o dinheiro para comprar tudo à vista.”

O Procon de São Paulo também têm dicas para as compras. No blog Educação para o Consumo da entidade, há orientações sobre compra de material, uniforme e contratação de transporte escolar. Uma das dicas é, antes de comprar, verificar quais itens restaram do período letivo anterior que ainda podem ser aproveitados. Em seguida, é importante fazer pesquisa de preços. O Procon-SP também orienta os consumidores a evitarem a compra de materiais com personagens, logotipos e acessórios licenciados, porque geralmente são mais caros. Também vale a pena negociar com lojas que concedem descontos para compras em grande quantidade, depois de organizar um grupo de consumidores.

Imprimir

NOVO MÍNIMO

No Quarta, 02 Janeiro 2013 21:15.

Maioria dos trabalhadores só sentirá aumento do salário mínimo no fim do mês ou início de fevereiro

Daniel Lima - Agência Brasil

O novo salário mínimo de R$ 678, em vigor desde ontem (1º), só terá efeito na renda do trabalhador, na maioria dos casos, no final de janeiro ou em fevereiro, quando efetivamente será depositada a quantia referente ao mês de dezembro. A exceção é o trabalhador que recebe o salário em duas parcelas, geralmente depositadas a cada quinzena.

“É importante observar que o salário que será pago é referente ao mês de dezembro, quando o mínimo era R$ 622. Quem recebe no dia 30 ou no início de cada mês só sentirá a diferença quando receber o salário de janeiro, informou José Silvestre Prado de Oliveira, coordenador de Relações Sindicais do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O reajuste de 9% foi definido com base na Lei n° 12.382, de 25 de fevereiro de 2011. O objetivo do governo é valorizar o salário mínimo em longo prazo.

Imprimir

VOLTA ÀS URNAS

No Quarta, 02 Janeiro 2013 11:27.

Eleitores de 59 municípios brasileiros deverão voltar às urnas para eleger prefeitos 

Mariana Jungmann - Agência Brasil

Nem todos os 5.564 municípios brasileiros amanheceram com novos prefeitos nesta quarta-feira (2). Nessas cidades, os eleitos em 2012 não tomarem posse no dia 1º de janeiro. Em 59 cidades, os candidatos que tiveram mais de 50% dos votos concorreram com os registros de candidatura indeferidos e isso levará à realização de novas eleições. Nestes casos, os presidentes das câmaras de vereadores irão assumir as prefeituras até que o novo pleito aconteça.

Em sete municípios as novas eleições já estão marcadas. É o caso de Guarapari (ES), onde a Justiça Eleitoral já convocou a nova votação para o dia 3 de fevereiro. Em Campo Erê (SC), Criciúma (SC), Tangará (SC), Balneário Rincão (SC), Bonito (MS) e Camamu (BA), os pleitos estão marcados para o dia 3 de março.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não conseguiu encerrar o ano do Judiciário, no último dia 19, com a conclusão de todos os processos relativos às eleições municipais de 2012. Apesar disso, a presidenta do Tribunal, ministra Cármen Lúcia, anunciou que 90% dos 7.781 recursos sobre registros de candidaturas foram julgados e tiveram alguma decisão. Com isso, cerca de 780 recursos ainda ficaram pendentes de decisão e os casos devem ser resolvidos em 2013.

Ao todo, os processos referentes às últimas eleições municipais somaram 9.189 casos. Entre esses e outros casos, o tribunal julgou um total de 14.048 processos em 2012. Segundo o TSE, a quantidade de processos distribuídos em 2012 foi 30% maior do que a das eleições municipais de 2008. Naquele ano, a corte recebeu 6.026 processos sobre registros de candidatura, sendo que 96% haviam sido julgados até o encerramento do ano

As últimas eleições foram as primeiras com plena aplicação da Lei da Ficha Limpa. Aprovada em 2010, a norma endureceu as regras para que um político possa se candidatar. O percentual de julgamento de recursos da Lei da Ficha Limpa é ligeiramente menor que a média geral: dos 3.366 recursos recebidos pelo TSE, 2.971 foram julgados, cerca de 88%.

As sessões de julgamento do plenário do TSE serão retomadas em 1º de fevereiro, mas o tribunal funciona em esquema de plantão até o dia 6 de janeiro com a presença da presidenta Cármen Lúcia. No entanto, ainda não é possível saber se os processos pendentes sobre as últimas eleições poderão ter decisões monocráticas da ministra, ou se deverão aguardar pelo retorno das atividades plenárias.

Imprimir

TÁ BOM, MAS TÁ RUIM

No Quarta, 02 Janeiro 2013 09:17.

País tem safra recorde, mas agronegócio ganha menos por conta da crise internacional

Da Agência Brasil

crise internacional também deixou suas marcas no agronegócio brasileiro em 2012. Apesar da severa estiagem que atingiu estados do Sul e Nordeste do Brasil, o setor registrou safra recorde de 166,2 milhões de toneladas de grãos. Mesmo assim, seu PIB (Produto Interno Bruto) recuou na comparação com 2011, ficando em cerca de R$ 813 bilhões.

De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a austeridade fiscal adotada pela União Europeia, a redução no ritmo de crescimento da China e o enfraquecimento da economia americana contribuíram para a deflação dos preços das principais commodities exportadas pelo país.