COVARDIAS SUPREMAS

COVARDIAS SUPREMAS

Ao decidir em favor de Aécio e outros encrencados do Congresso, Supremo Tribunal afaga os acima da lei Há farta…

More...
TRAGÉDIAS ADJACENTES

TRAGÉDIAS ADJACENTES

  No domingo, 1° de outubro, Stephen Paddock, de 64 anos, dispara contra a pequena multidão que assistia ao festival…

More...
DEMOROU, MAS ERA DIA

DEMOROU, MAS ERA DIA

Câmara de Manga aceita denúncia e Quinquinha pode ser cassado por improbidade administrativa  Imagem: Clever Inácio - www.norticias.com.br        …

More...
MANGA: A LEI DO RETORNO

MANGA: A LEI DO RETORNO

Passagem de Quinquinha por consórcio de saúde pode abrir próximo capítulo de condenações judiciais Sujeito a enfrentar o estresse da…

More...
DEMOROU, MAS QUINQUINHA SERÁ INVESTIGADO

DEMOROU, MAS QUINQUINHA SERÁ INVESTIGADO

Vereadores avaliam na segunda-feira abertura de comissão processante para apurar suspeita de improbidade do prefeito de Manga   Plenário da Câmara…

More...
FALTOU PANO PRA MANGA?

FALTOU PANO PRA MANGA?

Oposição alivia para Quinquinha, o ímprobo, e Luiz do Foguete vê o cavalo para o poder passar arreado A primeira…

More...
IMPROBIDADES RECORRENTES 2

IMPROBIDADES RECORRENTES 2

Prefeito de Manga dispensa de licitação escritório que atuou na campanha eleitoral para livrá-lo da inexigibilidade O prefeito de Manga,…

More...
QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

Numa única sentença, juiz decreta duas novas perdas do cargo para prefeito de Manga >> Dispensa de licitação em contratos…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.

Em Tempo Real - Luís Cláudio Guedes

Imprimir

TRAGÉDIAS ADJACENTES

No 08 Outubro 2017.

 

No domingo, 1° de outubro, Stephen Paddock, de 64 anos, dispara contra a pequena multidão que assistia ao festival de música country no pátio de um dos grandes hotéis de Las Vegas, nos Estados Unidos. O saldo da tragédia: 59 mortos e mais de 500 pessoas feridas. Quatro dias depois, em Janauúba, no extremo Norte de Minas, Brasil, Damião Soares dos Santos, o Damião do Picolé, 50 anos, entra na creche Gente Inocente e, sem mais explicação, ateia fogo no local após espalhar gasolina sobre as crianças e no próprio corpo. Até agora os mineiros choram 11 mortes e mais de 50 vítimas gravemente feridas.

As duas tragédias têm em comum o fato de que os dois matadores (serial killers) deram cabo à própria vida, após os atos insanos que escolheram para colocar ponto final em suas tristes existências. Atrás de si, deixaram rastros de sangue e dor. Impossível dizer se há ponto de contato entre essas duas e lamentáveis histórias, mas não é de todo improvável que Damião tenha sido influenciado pela imensa repercussão da matança na madrugada iluminada daquele ponto do deserto do Nevada.

Em contraposição a essa hipótese está o fato, também verdadeiro, de que outros fatos iguais não se repetiram ao redor do mundo. Nunca se sabe. O mundo em rede espetaculariza fatos em velocidade nunca vista. Tudo é fartamente fotografado, filmado e ganha contornos de maçaroca nas redes sociais - como foi o caso da tragédia de Janaúba, onde a repercussão contribuiu sensibilizar as pessoas em ajuda que foi muito bem-vinda.   

O que é possível inferir com uma boa dose de acerto é que mentes assassinas com essas de Stephen e Damião são levadas a descontar em pessoas inocente suas frustrações e que isso é subproduto, infelizmente, da sociedade atual. O Estado Islâmico não reivindicou para si o surto de Damião (nem poderia), mas tentou fazê-lo no caso americano. Os muitos casos de ataques terroristas dos últimos anos só corroboram a ideia de que ninguém mais está seguro em lugar nenhum. Umas das táticas do terror é parecer maior do que realmente é - no que potencializa sua capacidade de banalizar a tragédia. Mas o caso de Janaúba não foi um ato terrorista, dirá o leitor mais atento. Não é, no sentido que todos conhecemos, mas tem o fato de que alguém se imola seja lá por que motivo e o efeito é semelhante no medo que provoca.       

Esse é o grande risco desses nossos dias. A sensação de insegurança cresce muito com a proliferação da informação em tempo real. Que pai ou mãe pode trabalhar em paz se parar pensar na ameaça de que, a qualquer momento, um louco qualquer pode invadir a creche ou a balada que seus filhos frequentam?

O caso de Janaúba não foi o primeiro nem o mais grave ocorrido no Brasil. Em 2011, Wellington Menezes de Oliveira invadiu a Escola Municipal Tasso da Silveira, no Bairro do Realengo, para sacrificar 11 crianças. O atirador se matou após ser alvejado por um policial.

O horror da creche Gente Inocente é este mesmo:

a proximidade da tragédia, da imensa cicatriz que ela impôs a uma cidade pacata do semiárido mineiro, que por algum intervalo de horas vira notícia no mundo inteiro. Eu mesmo ouvi breve nota sobre o assunto na transmissão em inglês da rádio BBC de Londres, que ouço volta e meia para aprimorar meu contato com a língua.

É doloroso para o Brasil que esse tipo de ato terrorista, porque no fundo é disso que se trata, venha a fazer parte da nossa rotina. Já há sofrimento demais no país, que não consegue avançar na solução para o dilema de ser uma das sociedades mais desiguais do planeta.

A morte já é rotina nas cidades brasileiras, grandes ou pequenas. Casos como o de Janaúba têm a agravante de colocar na agenda o insondável perigo de outros logos solitários andarem por aí à espreita, prontos para chamar a atenção para suas pobres vidas em um gesto de desespero.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, o prefeito de Janaúba, Carlos Isaildon Mendes (PSDB), argumentou que fatos como esse perpetrado pelo vigia Damião Soares são praticamente impossíveis de se evitar. Concordo com ele. O que não é possível entender é porque o forro do teto da creche continha material inflamável ou porque não havia extintores de incêndio naquele espaço público. Não é só em Janaúba e não é só a pobreza e os orçamentos minguados das nossas prefeituras que justificam fatos como esse. Há muito de negligência e erros em escolher prioridades.

Além de servir de mais um alerta para autoridades normalmente relapsas em relação a tudo, e que só reagem quando a porta está escancarada, o caso da creche Gente Inocente fez brotar da aridez desses nossos tempos a solidariedade de milhares de pessoas e o gesto de heroísmo Helley de Abreu Silva Batista. Arriscar a vida para salvar filhos que não eram seus comove e resgata nossa esperança no ser humano. 

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar