NA DEFESA, QUINQUINHA PARTE PARA O ATAQUE

NA DEFESA, QUINQUINHA PARTE PARA O ATAQUE

Prefeito alega fraude em votação e suspeição de vereadora entre argumentos para barrar denúncia de improbidade  Volumes com as cerca…

More...
OUTRA OPINIAO

OUTRA OPINIAO

 Lamento de um bom homem em defesa do seu semelhante  Por Sandro Tótola (*) Vivemos tempos sombrios, tempos rudes, tempos…

More...
PERDOAI-OS, MESMO SABENDO O QUE QUEREM

PERDOAI-OS, MESMO SABENDO O QUE QUEREM

Magnânimos por conveniência, Lula e Dilma dizem perdoar seus desafetos; mas quem os perdoará pelos seus muitos erros A militância…

More...
O JUS SPERNEANDI DE QUINQUINHA

O JUS SPERNEANDI DE QUINQUINHA

Prefeito entrega defesa prévia à Câmara, que tem agora 10 dias para arquivar ou levar acusação de improbidade adiante  Quinquinha…

More...
DEMOROU, MAS ERA DIA

DEMOROU, MAS ERA DIA

Câmara de Manga aceita denúncia e Quinquinha pode ser cassado por improbidade administrativa  Imagem: Clever Inácio - www.norticias.com.br        …

More...
FALTOU PANO PRA MANGA?

FALTOU PANO PRA MANGA?

Oposição alivia para Quinquinha, o ímprobo, e Luiz do Foguete vê o cavalo para o poder passar arreado A primeira…

More...
IMPROBIDADES RECORRENTES 2

IMPROBIDADES RECORRENTES 2

Prefeito de Manga dispensa de licitação escritório que atuou na campanha eleitoral para livrá-lo da inexigibilidade O prefeito de Manga,…

More...
QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

Numa única sentença, juiz decreta duas novas perdas do cargo para prefeito de Manga >> Dispensa de licitação em contratos…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.

Em Tempo Real - Luís Cláudio Guedes

Imprimir

ANÁLISE

No Domingo, 06 Janeiro 2013 11:18.

Bodoque por 20 anos, Paulo Guedes muda para o lado da vidraça


Administração petista em Manga já começa a colocar nome do deputado na alça de mira dos seus adversários políticos

O deputado estadual Paulo Guedes (PT) roubou a cena na posse dos eleitos em Manga na noite do último dia 1º. Enquanto o irmão e agora prefeito Anastácio Guedes tropeçava nas palavras ao tentar fazer a leitura do discurso preparado por assessores, o deputado falou de improviso com a tarimba de quem acumulou 20 de estrada e tribunas.

Paulo empolgou a assistência ao projetar as mais otimistas expectativas para o primeiro mandato do PT à frente do município. Semeou esperanças a ouvidos receptivos da multifacetada base eleitoral que conseguiu reunir no município (os ex-prefeitos e antigos rivais Haroldo Bandeira e Humberto Salles estavam perfilados em traje de festa, olhares embevecidos para o deputado aliado).

Guedes, como sabem até os balaústres do cais de Manga, é o avalista do mandato do irmão e tem mesmo planos sinceros para materializar as condições que transformem em realidade, ainda que parcialmente, as muitas ideias que brotam com o entusiasmo da vitória. O petista tem projeto de permanecer no poder municipal, ainda que por interpostas pessoas, pelos próximos 12 anos, no que inclui a reeleição de Anastácio.

Todo bônus tem seu ônus correspondente.

Imprimir

A BOLA ESTÁ COM ANASTÁCIO

No Quarta, 02 Janeiro 2013 14:46.

Novo prefeito tem o desafio de mostrar a que veio e provar que não será satélite do irmão deputado

## Pouca experiência atrapalha, mas governo tem chance de dar certo por conta de interesse de Paulo Guedes em mostrar serviço

Foto: Manoel Freitas

Paulo abraça o irmão Anastácio durante cerimônia de posse: novo prefeito precisa mostrar que tem autonomia e que é timoneiro do eu governo

Em entrevista da série “Sete perguntas para o candidato...” que este Em Tempo Real publicou em meados do mês de setembro de 2012, o agora prefeito de Manga, Anastácio Guedes (PT), reagiu com inusitada veemência para pergunta que tocava em ponto sensível, a saber, se a então hipotética administração receberia interferências do irmão, o deputado Paulo Guedes, e dos aliados Haroldo Bandeira (PMDB) e Humberto Salles (PSB).

“Essa é uma postura de quem não tem argumento e nem projeto para Manga. Todos conhecem minha trajetória de empresário bem-sucedido. Tomo decisões, na minha empresa e na minha vida pessoal, com personalidade. Não tenho e nunca tive vocação para fantoche. Aproveitarei, claro, o bom trânsito que o deputado Paulo Guedes tem nos ministérios para carrear recursos para nossa cidade. Estou preparado para ser o prefeito do povo de Manga e para fazer o que outros não fizeram”, afirmou Anastácio, em resposta por e-mail encaminhada ao signatário desta página naquela ocasião.

No momento em que este texto é escrito, nas primeiras horas deste 2 de janeiro, a cidade do extremo norte-mineiro ainda acorda sonolenta, após as comemorações da posse do novo prefeito e vereadores. O lixo da festa, que avançou pela madrugada, provavelmente segue acumulado pelas ruas de pedra do centro antigo da cidade. Assim que acordar, o petista estará diante do desafio de tocar a máquina, dar ordens aos seus subordinados, participar de intermináveis rodadas de reuniões, tomar decisões, nomear, demitir, enfim, fazer escolhas, nem sempre fáceis.

Tudo muito diferente dos últimos dois meses, quando Anastácio sorveu a taça agridoce que se reserva aos vencedores, tempo de muito sorrisos e tapinhas nas costas, novos e inusitados amigos, luzes, cores... Lua-de-mel com o eleitor, para melhor resumir a coisa toda. Essa fase boa ficou para trás e o mundo real se impõe: a arrecadação em baixa e pressão por aumento de salários, má qualidade na prestação de saúde, novo calendário escolar, dívidas vencidas e a vencer, tudo isso e muito mais, passa a dominar a agenda do novo prefeito

"Ninguém nasce pronto para ser prefeito", diz deputado

Imprimir

ACORDO PARA A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA EM MANGA

No Terça, 01 Janeiro 2013 16:32.

Pinheiro leva presidência da Câmara após cooptar vereadores da oposição


## Acordo entre Leonardo Pinheiro, Raimundo Gordo e Hélio Boquinha (ao centro), além de Zé de Sá, acaba com sonho de Evilásio Amaro (direita) em presidir a Casa

TEXTO ATUALIZADO

Sinecura, segundo os dicionários, é ‘substantivo feminino que significa emprego rendoso e de pouco ou nenhum trabalho. Emprego cujas funções não se exercem’. Pois será exatamente uma sinecurazinha, uma boquinha para ser mais fiel ao caso em tela, o fiel da balança que decide daqui mais algumas horas a presidência da Câmara de Manga em favor do vereador Leonardo Pinheiro (PSB).

Pinheiro enterrou de vez qualquer chance do adversário Evilásio Amaro (PPS) chegar à presidência da Câmara de Manga ao fechar acordo com os vereadores também oposicionistas Raimundo Mendonça Sobrinho, o Gordo, e Hélio Soares de Assis, o Hélio Boquinha (PPS), e José de Sá Elvira, o Zé de Sá (DEM). O acordo foi selado durante encontro na noite da segunda-feira (31) na residência do vereador Leonardo, que contou, inclusive, com as presenças do prefeito Anastácio Guedes e do deputado estadual Paulo Guedes.  

Raimundo Gordo será o vice-presidente da chapa encabeçada por Leonardo Pinheiro, que conta ainda com os votos dos petistas Dão Guedes e Luiz Carlos Santana Caires, o Luiz do Foguete, além do apoio do outsider Eziquel Castilho (PR). Só aí são seis votos, dos nove possíveis e a fatura parece liquidada. A não ser que... A não ser que milagres aconteçam.

Adalberto Pereira cotado para novo assessor da Câmara

Imprimir

CERCO CONTRA O TRABALHO INFANTIL

No Sexta, 12 Setembro 2014 14:40.

Matérias sobre o tema tramitam na pauta de comissões do Senado

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) proíbe o trabalho de crianças com menos de 16 anos, salvo na condição de menor aprendiz, a partir dos 14 anos e com o devido acompanhamento. Apesar disso, pesquisas indicam que ainda há muitas crianças servindo de mão de obra, nas mais diversas funções. Estudo da ong inglesa Plan International apontou, por exemplo, que 14% das meninas de 6 a 14 anos, no país, trabalham ou já trabalharam.

A garantia do direito à educação e ao lazer e a erradicação do trabalho infantil são os objetivos de projetos que tramitam no Senado, como o PLS 241/2014, da senadora Ana Rita (PT-ES), que reserva a metade das vagas destinadas a jovens aprendizes para indivíduos em situação de vulnerabilidade ou cumprindo medidas socioeducativas.

O projeto busca reinserir no mercado de trabalho, de maneira regular, crianças "em risco de envolvimento com as piores formas de trabalho infantil". A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) regulamenta a contratação de jovens a partir de 14 anos, estabelecendo garantias como tempo adequado para dedicação ao estudo, mas não estabelece cotas para grupos específicos.

“Nem sempre os jovens aprendizes contratados pertencem às camadas mais pobres e vulneráveis da população”, explica a senadora na justificativa do projeto.

A matéria tramita na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde aguarda relatório da senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO).

Expropriação de imóveis

Imprimir

QUARESMEIRA

No Terça, 04 Fevereiro 2014 14:55.

Papa Francisco pede simplicidade em mensagem de Quaresma

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Das agências Brasil/Lusa -- O papa Francisco pediu hoje (4) simplicidade em sua mensagem para a Quaresma, os quarenta dias que antecedem a Páscoa. Para ele, o poder, o luxo e o dinheiro impedem a distribuição justa das riquezas. No texto do papa, divulgado pelo Vaticano, o principal tema é a pobreza material.

"Quando o poder, o luxo e o dinheiro se convertem em ídolos, antepõem-se à exigência de uma distribuição justa das riquezas. Portanto, é necessário que as consciências se convertam à justiça, à igualdade, à simplicidade e a compartilhar”, disse o papa.

Francisco expressou preocupação em relação ao que chamou de miséria moral, que “consiste em se converter em escravos do vício e do pecado", entre eles, do álcool, das drogas, do jogo e da pornografia. Para o papa, muitas pessoas são obrigadas a viver em miséria por condições sociais injustas e falta de trabalho, que as priva da dignidade por falta de igualdade e respeito pelos direitos a educação e a saúde.

De acordo com o pontífice, a Quaresma é o período adequado para que as pessoas ponderem a privação com o objetivo de enriquecer os outros com a própria pobreza. "Desconfio da esmola que não custa e não dói.”