Política

Imprimir

MILITÂNCIA DO PSDB VAIA AÉCIO

No 09 Dezembro 2017.

O senador bon vivant Aécio Neves (PSDB), o mais carioca entre todos que nasceram em Minas, conta com os votos do eleitor mineiro para garantir uma vaga na sombra da maré mansa do foro privilegiado após 2019. Mas a vida de Aécio não anda fácil. Até mesmo a militância do PSDB joga pedra nessa Geni que envergonha todo cidadão de bem deste pobre e infeliz país desde que vieram à luz do sol seu convescote com o dono da Friboi.

Ex-presidente do PSDB, Aécio Neves foi vaiado ao chegar ao hotel aqui em Brasília onde o partido realizou, neste sábado, sua convenção nacional para eleger o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como presidente da sigla. Aécio chegou a levar uma claque, formada por membros do PSDB Jovem em Minas, mas nem isso impediu o constrangimento no ninho tucano.

O neto de Tancredo não subiu à mesa de honra da convenção, não discursou e saiu de fininho poucos minutos após deixar seu voto de convencional na urna. Ainda a tempo de dar entrevistas com pose de estadista, algo que ficou patente que ele nunca foi e, tudo indica, nunca será.

Nos próximos 10 meses, Aecinho vai tentar um retorno a Minas, onde alegará a inocência em que ninguém mais acredita. Será reeleito, decerto, mas não é sombra do que imagina ter sido - quando quebrou o caixa em Minas, com o discurso enganador de que fazia um choque de gestão.

O que se viu hoje em Brasília é que nem os tucanos aguentam mais Aécio, em boa medida o responsável pela total falta de rumos do partido. É de dar pena e asco. Mas o senador conta com os mineiros para livrá-lo de um juiz de primeira instância e do risco passar uma temporada atrás das grades.  

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar