Política

Imprimir

EDILIANAS: DEVOLVE A GRANA BOQUINHA!

No 13 Dezembro 2014.

Vereador é notificado para reembolsar valor de adiantamento de viagem a serviço não realizada

O presidente da Câmara Municipal de Manga, Leonardo Pinheiro (PSB), notificou, na última semana, o colega Hélio Soares de Assis, o Hélio Boquinha (sem partido), via ofício, para que devolva o valor correspondente ao adiantamento de R$ 2,04 mil que recebeu para custear viagem oficial aqui para Brasília, quando deveria ter participado do 7º Congresso da Associação Brasileira de Câmaras Municipais (Abracam), entre os dias 25 e 27 de novembro. Hélio Boquinha era um dos sete vereadores inscritos para participar do evento, mas cancelou a viagem com a alegação de problemas de ordem pessoal.

Boquinha não gostou da cobrança, mas disse que vai devolver o valor integralmente. O desconto deve ser feito no pagamento do décimo terceiro salário, previsto para acontecer na próxima sexta-feira (19). A Câmara de Manga investiu R$ 16,7 mil na viagem dos vereadores, valor que inclui o custo das inscrições. Além do presidente Leonardo Pinheiro, que também preside a Associação dos Vereadores da Área Mineira da Sudene (Avams), vieram à capital de todos os brasileiros os parlamentares José de Sá Elvira (DEM), eleito para presidir a Casa a partir de janeiro; Gil Mendes, o Gil do Conselho Tutelar (PP); Luiz Carlos Santana Caíres, o Luiz do Foguete (PT), Eziquel Castilho (PR), João França Neto, o Dão Guedes (PT), e Evilásio Amaro (PPS).

A atitude do presidente Pinheiro foi criticada à boca miúda por alguns de seus pares – que acusam rigor desnecessário na medida. Saudades, quem sabe, dos velhos tempos. Um deles, que preservo o nome por não ter presenciado a declaração, teria dito que, em passado não muito distante, a Câmara de Manga custeava conserto de veículos dos parlamentares e que não faltava ajudinha extra aqui e ali para despesas emergenciais de suas excelências. O que pode explicar em boa medida o porquê de se ter demorado tanto para construir uma sede própria - que só aconteceu no final do longo mandato do ex-vereador Francisco Farias Gonçalves, o Tim 2000 - e, mais recentemente, nesses últimos dois anos o fato inédito da Câmara devolver dinheiro para o caixa central do município.

Sem rumo nem prumo

Goste-se ou não do atual presidente (e o acima assinado já teve motivo para não gostar), é forçoso reconhecer que ele vai legar, em sua passagem pela presidência da Casa, que termina nos próximos dias, um dos períodos de melhor entendimento com a ética e o respeito com a coisa pública que o Legislativo local já presenciou até aonde a memória alcança. Sua passagem pela mesa diretora resultou em momentos positivos nesses quesitos e há Há quem reclame até mesmo da dificuldade em usar a máquina copiadora para bancar uma simples fotocópia de documento para ‘ajudar’ um eleitor despossuído.

A devolução dos valores recebidos por Hélio Boquinha tem sido cobrada pelo vereador Evilásio Amaro, que já monitorava o assunto antes mesmo do Congresso da Abracam terminar para, supostamente, iniciar processo de improbidade administrativa contra os colegas Leonardo Pinheiro e Hélio Boquinha. Por falar em Evilásio, o vereador anda cada vez mais sumido, após a barulhenta estreia no papel de opositor ferrenho ao prefeito Anastácio Guedes (PT). Amaro levou uma séria de acusações contra o petista para a esfera do Ministério Público, mas o movimento deu em águas de barrela [expressão arcaica para o que hoje se convencionou chamar de ‘acabar em pizza’] . Desde então, o nobre vereança não reencontrou rumo nem prumo.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar