Política

Imprimir

PAULO GUEDES VAI ASSUMIR A SEDINOR

No Quinta, 18 Dezembro 2014 09:33.

Sede da pasta pode ser transferida para Montes Claros, conforme promessa de campanha para descentralização do governo

O deputado estadual reeleito Paulo Guedes (PT) será o novo titular da Secretária de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor). A decisão saiu durante encontro de aproximadamente duas horas que manteve, na noite da quarta-feira (17), com o governador eleito, o também petista Fernando Pimentel. A Sedinor foi ‘feudo’ do deputado estadual Gil Pereira (PP) durante o período de mando do PSDB no estado.

A pasta é o braço operacional do Governo de Minas na aplicação de políticas públicas voltadas para minimizar as diferenças regionais entre o semiárido mineiro e as regiões mais ricas do Estado. Cabe à Sedinor atuar localmente na execução de programas federais como o 'Água para Todos' e o 'Leite Pela Vida', além de ações complementares de combate à fome e extinção da pobreza.

O movimento encerra a disputa que Guedes, deputado mais votado nas últimas eleições, travava com o PMDB pela presidência da Assembleia Legislativa. O peemedebista Adalclever Lopes deverá ser eleito para o cargo, com o apoio da bancada petista na Casa. Guedes pediu a Pimentel algumas horas para pensar e ouvir as bases, mas a decisão já está tomada e será comunicada ao governador ao longo desta quinta-feira.

Paulo Guedes relutava em aceitar a Sedinor, mas se rendeu à promessa de Pimentel de que a pasta vai ganhar mais autonomia no futuro governo, inclusive com o reforço de parcerias estratégicas de outros setores da máquina administrativa estadual – casos da Copasa e Ruralminas.

Outra medida em estudo é a transferência de toda a estrutura da Secretaria para Montes Claros, medida que estaria em sintonia com o discurso de descentralização da atuação governamental proposta pelo governador eleito durante a recente campanha eleitoral.

Futuro de Tadeuzinho

Imprimir

EDILIANAS: DEVOLVE A GRANA BOQUINHA!

No Sábado, 13 Dezembro 2014 09:14.

Vereador é notificado para reembolsar valor de adiantamento de viagem a serviço não realizada

O presidente da Câmara Municipal de Manga, Leonardo Pinheiro (PSB), notificou, na última semana, o colega Hélio Soares de Assis, o Hélio Boquinha (sem partido), via ofício, para que devolva o valor correspondente ao adiantamento de R$ 2,04 mil que recebeu para custear viagem oficial aqui para Brasília, quando deveria ter participado do 7º Congresso da Associação Brasileira de Câmaras Municipais (Abracam), entre os dias 25 e 27 de novembro. Hélio Boquinha era um dos sete vereadores inscritos para participar do evento, mas cancelou a viagem com a alegação de problemas de ordem pessoal.

Boquinha não gostou da cobrança, mas disse que vai devolver o valor integralmente. O desconto deve ser feito no pagamento do décimo terceiro salário, previsto para acontecer na próxima sexta-feira (19). A Câmara de Manga investiu R$ 16,7 mil na viagem dos vereadores, valor que inclui o custo das inscrições. Além do presidente Leonardo Pinheiro, que também preside a Associação dos Vereadores da Área Mineira da Sudene (Avams), vieram à capital de todos os brasileiros os parlamentares José de Sá Elvira (DEM), eleito para presidir a Casa a partir de janeiro; Gil Mendes, o Gil do Conselho Tutelar (PP); Luiz Carlos Santana Caíres, o Luiz do Foguete (PT), Eziquel Castilho (PR), João França Neto, o Dão Guedes (PT), e Evilásio Amaro (PPS).

A atitude do presidente Pinheiro foi criticada à boca miúda por alguns de seus pares – que acusam rigor desnecessário na medida. Saudades, quem sabe, dos velhos tempos. Um deles, que preservo o nome por não ter presenciado a declaração, teria dito que, em passado não muito distante, a Câmara de Manga custeava conserto de veículos dos parlamentares e que não faltava ajudinha extra aqui e ali para despesas emergenciais de suas excelências. O que pode explicar em boa medida o porquê de se ter demorado tanto para construir uma sede própria - que só aconteceu no final do longo mandato do ex-vereador Francisco Farias Gonçalves, o Tim 2000 - e, mais recentemente, nesses últimos dois anos o fato inédito da Câmara devolver dinheiro para o caixa central do município.

Sem rumo nem prumo

Imprimir

SANTANA NA SEGURANÇA PÚBLICA EM MINAS

No Quarta, 03 Dezembro 2014 10:29.

Deputado federal vai assumir a Defesa Social no governo do petista Pimentel


Sem mandato a partir de janeiro, o deputado federal e secretário do Partido da República em Minas Gerais, Bernardo Santana, será o futuro secretário de Defesa Social do governo de Fernando Pimentel (PT). Em primeiro mandato, Santana desistiu de concorrer à reeleição por conta de problemas com a saúde, que enfrentava no início deste ano. Agora, o parlamentar se prepara para descascar o imenso abacaxi que é a segurança pública mineira. O advogado Bernardo Santana atuou nos bastidores da campanha de Pimentel, como um dos seus coordenadores.

Com o anúncio do nome de Bernardo na tarde da última segunda-feira, durante encontro com delegados da Polícia Civil do Estado, em um restaurante da capital mineira, o governador começa a mexer no tabuleiro da montagem do seu governo. A expectativa é de que outros nomes possam ser anunciados já nos próximos dias.

Um dos nomes já confirmados é o do Nilmário Miranda (PT) para a futura Secretaria de Estado de Direitos Humanos, tema que deve ganhar maior relevância na reforma administrativa prometida pelo petista Pimentel. Atualmente, a atuação governamental na seara dos direitos humanos está vinculada à Secretaria d
e Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese).

Imprimir

TRIPULAÇÃO, PREPARAR PARA A DECOLAGEM...

No Domingo, 30 Novembro 2014 10:49.

Se mais mundo houvera, lá estariam os ilustres representantes do povo


Vereadores de Manga pousam para 'foto oficial' do 7º Congresso da Abracam, em Brasília (Foto: Divulgação)

A semana que passou foi pródiga em viagens de políticos conhecidos do eleitor manguense. Sete dos nove vereadores da Câmara de Manga empreenderam nova marcha rumo ao Centro-Oeste para participar do 7º Congresso da Associação Brasileira de Câmaras Municipais (Abracam) que aconteceu aqui em Brasília, entre os dias 25 e 27 de novembro. Noutra frente, o deputado estadual Paulo Guedes (PT), manguense por adoção e nome mais votado na história do parlamento mineiro, passou a semana em viagem internacional a Madri, na Espanha, onde representou a Assembleia Legislativa em um congresso. Como diria o poeta português Luís de Camões: "... e se mais Mundo houvera,lá chegara".

Além do presidente da Câmara e também presidente da Associação dos Vereadores da Área Mineira da Sudene (Avams), Leonardo Pinheiro (PSB), vieram à capital de todos os brasileiros os parlamentares José de Sá Elvira (DEM), cotado para presidir a Casa a partir de janeiro; Gil Mendes, o Gil do Conselho Tutelar (PP); Luiz Carlos Santana Caíres, o Luiz do Foguete (PT), Eziquel Castilho (PR), João França Neto, o Dão Guedes (PT), e Evilásio Amaro (PPS). Consta que Hélio Soares de Assis, o Hélio Boquinha (sem partido), recebeu o adiantamento de cerca de R$ 2 mil reais, correspondentes a três diárias, mas faltou ao compromisso. Hélio Boquinha terá que devolver o valor ao erário. Apenas o vereança Raimundo Mendonça Sobrinho, o Raimundão (PTB), alegou indisponibilidade de agenda para vir a Brasília.  

Vereadores e deputado cumpriram a prerrogativa de representar seus eleitores em fóruns de discussão. Tudo legítimo, pois é como se o povo a quem eles representam fossem investidos da faculdade, por delegação, de também cruzar o Oceano Atlântico e as terras sertanejas para ocupar assentos.

No caso da vereança, a viagem foi festiva. O vereador Gil Mendes, sempre pândego, avisou aos colegas que não faria o percurso entre Manga e Brasília no lombo dos mui rodados ônibus da Empresa Santo Antônio (ESA). “Não quero tomar Dramin para dormir nem carregar saco de vômito por mais de 15 horas de estrada”, disse em tom de brincadeira. Gil veio de voo Azul, como convém a um ‘deputado municipal’ do melhor extrato – com decolagem a partir de Montes Claros. Foi o mesmo trajeto feito pelo presidente Pinheiro, só que nas asas da Gol. Os demais cruzaram os sertões de ônibus e ‘carro próprio’, como foi o caso de Evilásio Amaro – que teria aproveitado para fazer um esticão ao santuário católico de Trindade, a 215 quilômetros de Brasília. Pois o tempo também é de promessas.

Parte da vereança visitava Brasília pela primeira vez e aproveitaram o tour para conhecer o Congresso Nacional e bater pernas nos gabinetes de deputados aliados. Do Congresso da Abracam, os parlamentares saíram convictos de que são a fina flor do que há de mais importante nos fundamentos da nossa triste República. Sem vereador tambor não toca, repetiam à exaustão palestrantes escolhidos a dedos e lobistas de todas as denominações.

Questões muito caras aos ouvidos dos vereadores foram reafirmadas com status de cláusula pétrea: sim, eles podem receber décimo terceiro como qualquer mortal de carteira assinada e que não há nada de ilegal em se pagar salários dobrados para presidente de câmara municipal. Tudo recheado com temas como legislação para resíduos sólidos, orçamento impositivo nos municípios, políticas públicas, reforma política e técnicas parlamentares.

Estoque de Dramin

Imprimir

FUÁ FEDERAL

No Quarta, 12 Novembro 2014 08:37.

Ministros petistas criticam gestão Dilma

Passada a ressaca com os festejos da difícil vitória para o quarto mandato petista, começam vir à tona os sinais de que nem tudo anda bem na seara federal. É a volta do clássico embate PT X PT a expor de modo visceral a, por assim dizer, heterogeneidade do partido. A polêmica de ocasião é a carta de demissão da agora ex-ministra da Cultura Marta Suplicy, que pegou o governo de surpresa por conta da contundência na crítica companheira sobre a condução da economia. Demissionária, Marta disse torcer para que Dilma saiba escolher uma equipe econômica que "resgate a confiança e credibilidade" da atual administração. Nada que todo mundo repete há um bom tempo.

Um dia antes da intempestiva saída de dona Márcia, o secretário-geral da Presidência, o também ministro Gilberto Carvalho, apontou para falhas naquilo que o petismo avalia ser a essência dos seus governos: em entrevista à BBC Brasil, Carvalho disse que o governo Dilma teve relacionamento pior com os movimentos sociais e no enfrentamento da questão indígena do que a gestão do presidente Lula. Para Carvalho, essa falta de diálogo foi ‘um tiro no pé’.

É de se perguntar quem precisa de adversários com uma turma desta no seu entorno. E o pior: Gilberto e Marta são muito próximos do ex-presidente Lula no intricado xadrez petista. Nessa toada, o agora neo-oposicionista Aécio Neves (PSDB) vai precisar calibrar o discurso para se fazer ouvir.

A imprensa registra hoje que a presidente Dilma minimizou o bate-cabeça governista. “Marta não fez nada de errado”, teria dito Dilma em tom contemporizador. Quem não gostou das críticas foi o ministro Guido Mantega (Fazenda). Segundo a coluna ‘Painel’, editada por Vera Magalhães, o ainda ministro teria dito a auxiliares: "Das duas, uma: ou ela se rendeu ao discurso do mercado financeiro ou quer desviar atenção de sua gestão na Cultura". Para Mantega não faltou dinheiro no Ministério da Cultura. “O que faltou? Talento?".

Em meio a todo esse bate-boca, teve ainda o disse que disse sobre a determinação para que todos os ministros entregassem seus cargos até a próxima terça-feira (18), um gesto de sintonia entre que deixaria a presidente inteiramente à vontade para compor a equipe com que pretende seguir adiante a partir de janeiro.

Alguns dos atuais ministros podem até ser mantidos em seus cargos, mas a prerrogativa para tanto é de Dilma. Com a opção de Marta em sair atirando, o governo volta atrás e diz que não há prazo nenhum. A temporada promete, mas boa parte dessa espuma deve baixar quando Henrique Meirelles for anunciado como novo ministro da Fazenda. Vale a pena seguir os desdobramentos desse embate interno, pois ele tem potencial para definir os passos do novo governo-velho.