Política

Imprimir

PAULO GUEDES É O CAMPEÃO DE VOTOS EM MINAS

No Domingo, 05 Outubro 2014 19:37.

Petista tem até agora mais de 146 mil votos e diz que  espera chegar aos 150 mil

O deputado estadual Paulo Guedes (PT) volta a surpreender o universo da política no Norte de Minas. Guedes se elege para um terceiro mandato e consolida sua carreira política. E mais do que isso: consegue votação consagradora, até aqui em 140 mil. Com 89% dos votos totalizados, Guedes já ultrapassava os 140 mil votos. O segundo colocado na lista provisória é Leonardo Genaro (PSB), com 105 mil votos.

Em entrevista por telefone ao Em Tempo Real, Guedes diz que espera chegar aos 150 mil sufrágios, o que pode ser votação recorde nas últimas eleições proporcionais no Estado. Segundo o petista, os números de Montes Claros, cidade onde espera receber cerca de 35 mil votos estariam demorando a ser contabilizados.


Imprimir

PT, ENFIM, CONQUISTA AS ALTEROSAS

No Domingo, 05 Outubro 2014 17:43.

Boca de urna indica vitória de Fernando Pimentel com 53% dos mineiros

O economista Fernando Pimentel vai governar Minas a partir de janeiro (Foto: site oficial)

Minas Gerais vai confirmar daqui a pouco no nome do Fernando Pimentel como novo governador do Estado. De acordo com a pesquisa de boca de urna do Ibope, o petista se elegeu, neste domingo, com 53% dos votos válidos – o que confirma a tendência registrada ao longo da campanha.

A vitória de Pimentel será uma das mais importantes conquistas do PT nestas eleições: o partido vai comandar o Estado pela primeira vez, além do fato não desprezível de que o petista derrotou o candidato a presidente e senador Aécio Neves (PSDB) em próprio quintal.

Aécio, que é o nome mais cotado para ir ao segundo turno da disputa presidencial com Dilma Rousseff (PT), não teve o desempenho que esperava entre os mineiros. A derrota do tucano Pimenta da Veiga será debitada ao neto de Tancredo. Aécio fez intervenção considerada agora um grande erro de estratégia em Minas, ao impor um nome do bolso do seu colete, sem sintonia com o histórico político local. O vice de Pimenta da Veiga, Dinis Pinheiro, também do PSDB, seria a melhor opção, em companhia do atual governador Alberto Pinto Coelho (PP). Aécio facilitou muito a vida do PT, que conquista agora importante colégio eleitoral da região Sudeste.

Ministro de Dilma

Imprimir

OUTRA LEITURA

No Domingo, 05 Outubro 2014 12:12.

Paulo Guedes discorda de análise do site e diz esperar repetir votação recorde de 2006 em Manga

O deputado estadual Paulo Guedes (PT) discorda de análise aqui do site que aponta para a provável queda de sua votação em Manga. O município é administrado pelo PT pela primeira vez, mas a administração do prefeito Anastácio Guedes, irmão do deputado, não tem boa aprovação da população até aqui. O artigo ‘Manga na hora do voto’, publicado neste espaço no dia 30 de setembro, traça cenários para a próxima sucessão municipal, com base no desempenho dos candidatos das lideranças locais na votação deste domingo.

A análise não tem, por óbvio, valor científico e nem chega a ser uma enquete, mas uma média de opiniões apuradas pelo site. Além da possível queda da votação de Paulo Guedes em relação às últimas eleições proporcionais, de 4,2 mil votos para algo em torno de 3,5 votos, o texto também aponta redução na votação dos candidatos apoiados pelo ex-prefeito Quinquinha Oliveira (PTdoB), em especial o também deputado estadual em busca da reeleição Arlen Santiago (PTB).

Na sua réplica ao site, o petista Paulo Guedes diz que não apenas será o nome para estadual mais votado no município onde iniciou sua carreira política, como espera obter no município votação superior aos cinco mil votos. O desempenho repetiria o que aconteceu na sua campanha de estreia para a Assembleia Legislativa mineira, em 2006, quando recebeu os sufrágios de 5.383 manguenses, ao obter impressionantes 61,2%dos votos válidos naquela eleição.

Saldo

Imprimir

PESQUISAS APONTAM REVIRAVOLTA NA SUCESSÃO

No Sábado, 04 Outubro 2014 18:16.

Pesquisas de vésperas indicam que Marina está fora do jogo e que Dilma pode ter Aécio como adversário

Novidade na sucessão, Marina [ao centro] pode ceder vaga para Aécio na disputa com Dilma

As pesquisas divulgadas ao longo deste sábado apontam para novo cenário na sucessão presidencial, com o estouro da bolha representada por Marina Silva entre os meses de agosto e setembro. Segundo o Datafolha, a disputa em segundo turno deve ser decidida entre a presidente Dilma Rousseff (PT), e o senador Aécio Neves (PSDB). Segundo o Datafolha, Dilma chega ao dia ‘D’ das eleições com 44% dos votos válidos. Aécio aparece agora na segunda posição, com 26%, no que ultrapassa, ainda que dentro da margem de erro, os 24% de Marina Silva (PSD).

Não por outro motivo, Marina repetiu à exaustão, nos últimos dias, sua profissão de fé de que estaria no segundo turno, na tentativa de evitar a derrama de votos válidos na direção de Aécio. A pesquisa do Datafolha confirma os números divulgados mais cedo pelo levantamento CNT/MDA, que também mostrou o crescimento da possibilidade da polarização PT-PSDB voltar à cena no segundo turno.

Segundo o Datafolha, Dilma venceria Aécio por 53% a 47% no segundo turno. Se a disputa for com Marina, a atual presidente consegue novo mandato por 55% a 47%. Vistos sem maior aprofundamento, esses números poderiam indicar que Aécio será um adversário mais difícil para Dilma na etapa que começa já nesta segunda-feira. É fato que a passagem para o segundo turno, se ela efetivamente acontecer, faz com Aécio chegue embalado para o novo round. Entretanto, o mineiro serve mais à perfeição ao velho e manjado truque do petismo de tentar uma cisão entre pobres e ricos no país sempre que alguém ameaça colocar fim à sua hegemonia na política nacional.

Se seguir adiante, Marina é, nesse sentido, páreo mais complicado para o maniqueísmo simplista de dividir o mundo entre o 'nós' e o 'eles', a que o PT se entrega com muito gosto. Com perfil semelhante ao de Lula, Marina não se enquadra no figurino da luta de classes com propósito eleitoral. Mas é preciso levar em conta que a ex-ministra parece ter esgotado sua cota de novidade nesta disputa. Em queda nas pesquisas, ela teria que se propor a uma espécie de renascimento para ameaçar o mandarinato de dona presidenta. As próximas horas reservam fortes emoções.

Imprimir

RUMO CEGO

No Sexta, 03 Outubro 2014 15:16.

Cândido manda sinal trocado ao apoiar principal adversário da administração que ajudou a compor

Casou estranheza entre a turma mais antenada com a política em Manga a adesão de última hora do médico Cândido Dourado (PRB) ao palanque de reeleição do deputado estadual Arlen Santiago (PTB), aliado do ex-prefeito de Manga Quinquinha Oliveira (PTdoB). O movimento, por sinal, possibilitou a Quinquinha realizar antigo sonho de partilhar um mesmo palanque com Cândido Dourado.

O médico era o nome preferido do então prefeito para disputar as eleições municipais de 2012. Naquela épica, ele chegou mesmo a adiar ao máximo a escolha do seu candidato, na expectativa de que Cândido topasse o desafio de concorrer com o seu apoio. O médico, entretanto, optou, na undécima hora, pela aliança com o PT, em acordo que lhe permitiu indicar o irmão Eliel Dourado (PRB) como vice na chapa do petista e atual prefeito Anastácio Guedes (PT). A demora na definição do candidato pode ter sido um dos motivos que levou à derrota do grupo de Quinquinha para o PT do deputado Paulo Guedes naquela eleição.

Mas veja, leitor, as voltas que o mundo dá. Na semana passada, Cândido gravou mensagem de apoio ao deputado Arlen, considerado o adversário número 1 da administração petista em Manga. Trocando em miúdos: ele agora joga contra o grupo político que ajudou a chegar ao poder há apenas dois anos, e que tem o próprio irmão como vice. Reconhecido como bom profissional da medicina, Cândido não demonstra, até aqui, a mesma desenvoltura na seara da política.

Ele começou a atual temporada eleitoral flertando com o ex-deputado Humberto Souto (PPS), que tenta nova vaga na Câmara Federal, mas depois optou por fechar apoio para Ariadne Muniz (PRB), na disputa por uma cadeira na Câmara dos Deputados. Agora, o eleitor não sabe ao certo se a adesão também inclui o apoio de Cândido ao deputado federal e novamente candidato Toninho Pinheiro (PP), que também é apoiado pro Quinquinha. Cândido, que já tentou ser prefeito de Manga, parece navegar sem GPS nos domínios da política.

Há quem atribua a ele a eleição de Humberto Salles para prefeito de Manga em 2004. Salles foi cassado algum tempo depois, quando abriu espaço para que o mesmo Quinquinha Oliveira, seu então vice, debutasse na política sem ter recebido um único voto de forma direta. Na ocasião, o também médico e vice-prefeito José Cecyvaldo Ribeiro era o nome natural para substituir o então prefeito Haroldo Bandeira (PMDB). Cândido, que é contraparente e compadre de Cecyvaldo, resolveu entrar na disputa. Acabou em terceiro lugar e abriu espaço político para que Humberto Salles se elegesse.

Retaliação