Regionais

BR-135: SAI EDITAL PARA PROJETO MANGA/ITACARAMBI

No 26 Março 2014.

Anteprojeto vai custar R$ 1,1 milhão e representa etapa importante para contratação da obra

### Dnit promete retomar pavimentação do trecho Montalvânia/Monte Rei até o mês de junho

O deputado estadual Paulo Guedes (PT) diz ter ouvido duas boas notícias durante visita à sede do Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit), na manhã desta quarta-feira (26), aqui em Brasília (foto). Segundo o diretor de Infraestrutura Rodoviária da autarquia, Roger da Silva Pêgas, a seleção para a escolha das empresas que vão elaborar os estudos e o anteprojeto de engenharia para a pavimentação da BR-135, no trecho entre Manga e Itacarambi, deve sair nesta sexta-feira (28/3).


A licitação está sendo realizada pelo regime diferenciado decontratações (RDC), na modalidade eletrônica, e tem valor estimado em R$ 1,1 milhão. Vence a licitação aquela proposta que apresentar o menor valor global para execução do serviço. Vale observar que o Dnit ainda não vai autorizar a execução da obra, mas contratar a elaboração de estudos e o anteprojeto para, em seguida, contratar as empresas que vão executar os projetos básico e executivo e as obras de pavimentação da rodovia.

Fac-silime do aviso de licitação: anteprojeto é etapa que antecede o edital de licitação para escolha da empresa responsável pela obra

Saltitante com a notícia, o deputado Paulo Guedes ressalta que essa é mais uma importante etapa na luta pela conclusão do asfaltamento da BR-135. A informação sai exatamente um mês depois que comitiva formada por representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e do próprio Dnit foram a Manga a realização da audiência pública para consulta à população da microrregião sobre o Estudo de Impacto Ambiental e do Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima), emitido pelo Ibama em novembro do ano passado. Na ocasião, houve insatisfação por parte de pessoas que teriam ido ao encontro na expectativa de que a retomada da obra fosse anunciada naquele momento – o que não era mesmo o escopo daquela reunião de trabalho.

Guedes salientou que a interrupção da pavimentação da BR-135 entre Manga e Itacarambi não estava prevista inicialmente e que foi teria sido medida preventiva face estudo antropológico que apontou a possível existência de cemitério indígena no traçado da rodovia, além do risco de danos às cavernas do Parque Nacional do Peruaçu.

Desmembramento dos trechos

A novidade, segundo o deputado, é que o Dnit acatou a proposta de dividir a licitação da obra em duas etapas. “Um lote será do subtrecho Manga/Missões, que não tem cemitério indígena e nem cavernas, e o outro do subtrecho Missões/Itacarambi”, comemora o parlamentar, para quem a medida vai agilizar o início da obra. 

Paulo Guedes destaca os avanços desde 2010, quando a conclusão da BR-135 foi incluída no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal. “Já concluímos o asfaltamento dos trechos Manga/Monte Rei e Montalvânia/Divisa com Bahia. Estamos fazendo todos os esforços possíveis e necessários para realizar este grande sonho da nossa população, que é ter a rodovia 100% pavimentada, porém, muitas vezes, esbarramos na burocracia dos órgãos de governo. Mas, o importante é que a nossa luta só vai parar quando conseguirmos cumprir este que é um dos principais compromissos assumidos com a minha região”, declarou o parlamentar.
Retomada do trecho Monte Rei/Montalvânia

Ainda no encontro desta quarta-feira, o diretor Roger Pêgas teria dado garantas de que, até o dia 15 abril, será publicado o edital para o asfaltamento do trecho entre o distrito de Monte Rei e Montalvânia, com extensão de 18,1 quilômetros. Segundo o diretor do Dnit, após 15 dias úteis da publicação do edital, os envelopes das propostas serão abertos. Portanto, no início do mês de maio, a população já conhecerá o nome da empresa vencedora.

Finalmente, depois de 30 dias, o Dnit poderá dar a ordem de serviço para a pavimentação do trecho Monte Rei/Montalvânia. “A estimativa é que as obras comecem no mês de junho. Estamos acompanhando todas as etapas para garantir o cumprimento dos prazos estipulados”, declarou Paulo Guedes. Esse trecho da pavimentação da rodovia está paralisada desde o final de 2011, quando a empresa contratada, SPA Engenharia, decretou falência e deixou a região sem concluir a fase de terraplanagem daquele trecho da rodovia.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar