Regionais

DNIT RETOMA OBRAS DA BR-135... NA BAHIA

No 13 Agosto 2014.

Escolhidos os consórcios responsáveis pela pavimentação de dois trechos entre Correntina e Pitarana, na divisa com Minas

Placa avisa sobre interrupção do asfalto em trecho da BR-135 na Bahia: esperança de retomada (Foto: Grande Bahia Online)

Quem tem padrinho não morre pagão, diz o senso popular. O Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (DNIT) concluiu, nas últimas semanas, as licitações para contratação integrada de elaboração dos projetos básico e executivo de engenharia, além da execução das obras de construção de dois subtrechos da rodovia BR-135, no Estado da Bahia. A notícia interessa aos norte-mineiros que também sonham com a pavimentação da rodovia, porque aumenta as chances de retomada das obras também nos trechos remanescentes da rodovia federal entre Itacarambi e a divisa com a Bahia.

O primeiro deles, com extensão de 23 quilômetros, vai ligar a cidade de Côcos, na Bahia, até a ponte sobre o Rio Carinhanha, no povoado de Pitarana, na divisa com Minas Gerais. Essa ponte está pronta há pelo menos dois anos e liga o trecho asfaltado em solo mineiro a lugar nenhum, do lado baiano.

Três consórcios participaram da licitação, que teve início no último mês de maio. O DNIT declarou como habilitado para executar a obra, o consórcio formado pelas empresas Top Engenharia Ltda. e a Geosistemas Planejamentos e Engenharia. O trecho Pitarana/Côcos da rodovia federal vai custar ao contribuinte R$ 77 milhões, definido na modalidade menor preço em chamada pública via Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC).

Outra novidade em terras baianas é a contratação da empresa responsável pelas obras de pavimentação entre as cidades de Correntina e Coribe, com extensão de 42,6 quilômetros. Quatro consórcios disputaram o leilão presencial para tocar a obra. As propostas tiveram variação de preço entre R$ 130 milhões e R$ 300 milhões. Segundo consta em ata publicada no site do DNIT, a melhor proposta ficou com o consórcio Ethos/Getel/Comol, com lance mínimo de R$ 108,4 milhões, mas não há informação disponível se o grupo foi habilitado como vencedor do pregão.

Lado mineiro: Montalvânia/Monte Rei

O Ministério dos Transportes teve como titular, nos últimos quatro anos, dois baianos: Paulo Sérgio Passos, César Borges, e agora novamente Paulo Sérgio Passos, ambos vinculados ao Partido da República. Se o asfaltamento da BR-135 no trecho mineiro segue a passos de tartaruga, apesar das muitas cobranças das lideranças regionais, em especial o petista e deputado estadual Paulo Guedes, pelo lado baiano o assunto dá sinais de que vai andar. Não obstante o clamor pela retomada das obras na BR-135 aparentar ser mais calmo por lá.

Em Minas Gerais, a boa notícia é que, daqui a duas semanas, deve sair o nome da empresa que vai retomar a pavimentação do trecho entre Montalvânia e Monte Rei. Noutra frente, vão começar nos próximos dias os trabalhos de prospecção em campo por parte da empresa escolhida para elaboraro projeto-executivo que vai possibilitar a licitação da construção do trecho entre Itacarambi e Manga, que deve ficar mesmo para o ano de 2015.

Comentários  

0 #4 agripino sa silva 29-11-2017 11:33
me imforme se já começou as obras da br-135 em cocos na bahia . e qual a firma que esta executando,
Citar
0 #3 wagner rocha 25-10-2016 17:47
Boa tarde amigos !

Gostaria de saber se as obras entre a cidade de Monte Rei e Montalvânia já foram iniciadas pretendo passar por la em alguns dias
Aguardo um retorno
Obrigado

Abraço a todos
Citar
0 #2 francisco frança 02-05-2016 21:01
tudo nesse pais é meia sola ,quando é feito há desvios de verbas (maracutaia política )e ainda serviços de mal qualidade oh políticos que ganancia mostrem serviço sem trapaças ,roubalheiras vocês servem a ou ao diabo !
Citar
-2 #1 Jorge queiroz 27-02-2016 18:30
Vou viajar de montes claros minas a barreiras Bahia pela br 135 e quero saber se a rodovia está em boas condições.
Citar

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar