AÉCIO VIROU A GENI DO TUCANATO

AÉCIO VIROU A GENI DO TUCANATO

Todo o PSDB, com exceção talvez, e mal contida, da secção mineira da sigla, sabe que o senador Aécio Neves…

More...
PERDOAI-OS, MESMO SABENDO O QUE QUEREM

PERDOAI-OS, MESMO SABENDO O QUE QUEREM

Magnânimos por conveniência, Lula e Dilma dizem perdoar seus desafetos; mas quem os perdoará pelos seus muitos erros A militância…

More...
O JUS SPERNEANDI DE QUINQUINHA

O JUS SPERNEANDI DE QUINQUINHA

Prefeito entrega defesa prévia à Câmara, que tem agora 10 dias para arquivar ou levar acusação de improbidade adiante  Quinquinha…

More...
AMIGOS-SECRETOS E OUTRAS PIADAS

AMIGOS-SECRETOS E OUTRAS PIADAS

Líder da oposição nega ter ligado para prefeito com promessa de que votaria pelo arquivamento de investigação O prefeito de…

More...
DEMOROU, MAS ERA DIA

DEMOROU, MAS ERA DIA

Câmara de Manga aceita denúncia e Quinquinha pode ser cassado por improbidade administrativa  Imagem: Clever Inácio - www.norticias.com.br        …

More...
FALTOU PANO PRA MANGA?

FALTOU PANO PRA MANGA?

Oposição alivia para Quinquinha, o ímprobo, e Luiz do Foguete vê o cavalo para o poder passar arreado A primeira…

More...
IMPROBIDADES RECORRENTES 2

IMPROBIDADES RECORRENTES 2

Prefeito de Manga dispensa de licitação escritório que atuou na campanha eleitoral para livrá-lo da inexigibilidade O prefeito de Manga,…

More...
QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

Numa única sentença, juiz decreta duas novas perdas do cargo para prefeito de Manga >> Dispensa de licitação em contratos…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.
Imprimir

ALÍVIO PARA LULA DUROU POUCO

No Terça, 23 Maio 2017 07:54.

MPF apresenta nova denúncia por conta do sítio de Atibaia e ex-presidente pode virar réu pela sexta vez 

A crise política que abala o país desde a semana passada, após o jornal O Globo trazer à luz do sol as conversas subterrâneas entre Joesley Batista, o dono da JBS, e o presidente Michel Temer retirou momentaneamente o interesse diário da mídia brasileira sobre a iminente prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O batom na cueca no presidente Michel Temer paralisou o país e deixou Lula em plano secundário por algumas horas. Mas a trégua durou pouco. A força-tarefa da Operação Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) ofereceu na segunda-feira (22) nova denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A Justiça Federal vai analisar as suspeitas de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro relacionados as obras realizadas por empreiteiras no sítio de Atibia. Na denúncia, o MPF acusa o ex-presidente de estruturar, orientar e comandar esquema ilícito de pagamento de propina em benefício de partidos, políticos e funcionários públicos. A força-tarefa sustenta ainda que Lula, quando era presidente, nomeou diretores da Petrobras para praticar crimes em benefício das empreiteiras Odebrecht e OAS. Em troca, recebeu propina das construtoras de forma disfarçada por meio de obras feitas no sítio de Atibia.

De acordo com a denúncia, a Odebrecht teria pago R$ 128 milhões em propina com origem em quatro contratos firmados com a Petrobras. Já a OAS, segundo o MPF, teria pago vantagens indevidas de R$ 27 milhões ao ex-presidente, resultado do superfaturamento de três contratos firmados com a estatal.

“Esses valores foram repassados a partidos e políticos que davam sustentação ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva, especialmente o PT, o PP e o PMDB, bem como aos agentes públicos da Petrobras envolvidos no esquema e aos responsáveis pela distribuição das vantagens ilícitas, em operações de lavagem de dinheiro que tinham como objetivo dissimular a origem criminosa do dinheiro”, diz trecho da denúncia. A Lula, afirma a força-tarefa, teriam sido repassados aproximadamente R$ 870 mil pelas duas construtoras, mediante a realização de reformas, construção de anexos e benfeitorias no sítio de Atibaia.

'Desespero de procuradores'

Imprimir

TEMER RESISTE, MAS ATÉ QUANDO?

No Segunda, 22 Maio 2017 08:18.

Presidente vai brigar pelo cargo, mas não reúne mais condições para dirigir o país

Semana decisiva para o presidente Michel Temer, que, a despeito de ter perdido toda condição moral para continuar no cargo insiste em investida no e contra o Judiciário para tentar preservar o que já não é mais passível de preservação, posto que chegou a estado irreversível de decomposição.

Escrevi aqui neste espaço em 11 de abril o texto ‘Temer firme no entorno em chamas?’ em que observa a impossibilidade do peemedebista ser a virgem pura e não maculada em meio ao puteiro da política nacional mostrado pela divulgação, na ocasião, da famosa Lista de Janot. Ali ficava cristalino, para quem ainda duvidasse, o que uso que boa parte dos políticos dão ao voto que recebe do eleitor. Uma elite financeira ligada a empresas com interesses multibiolionários compra presidentes, senadores, deputados e o que mais vier.

Embora citado nas delações da Construtora Odebrecht, o presidente Michel Temer não aparecia entre os investigados por prerrogativa de 'imunidade temporária'. Mostrei, no texto, que Temer não corria risco de ser apeado do cargo, apesar do processo em curso no Supremo Tribunal Eleitoral, em que Temer e Dilma Rousseff são acusados mutuamente de crimes no financiamento da campanha de 2014. Até então, tudo indicava que dali que o presidente deveria perder o sono -- hipótese agora incerta com o envolvimente do presidente nas conversas com o dono da JBS.

O que não dava para esconder era o fato de Temer trafegava pelo movediço terreno em que se transformou o setor público brasileiro e dali sair ileso. Na ocasião, não era possível saber a ‘bomba’ que a JBS jogou no colo de Temer.

Nosso sistema político foi tomado por uma espécie de gangrena ética e moral que agora chega ao ponto da metástase, com a descoberta de que Temer não poderia mesmo estar limpo com tanta sujeita a lhe invadir o entorno. No desespero, o presidente agarra-se aos velhos aliados de sempre no Congresso Nacional. Aposta arriscada, dado o nível do lamaçal que impera por lá.   

Imprimir

‘FOLHA’ DESPACHA AÉCIO NEVES

No Segunda, 22 Maio 2017 07:56.

Para colunista que substitui Aécio, senador mineiro é 'fraude moral' e já vai tarde   

Já escrevi em algum lugar minha surpresa e indignação pelo fato do jornal ‘Folha de S.Paulo’ ainda publicar os artigos semanais do (ex) senador Aécio Neves (PSDB) em seu espaço de opinião. Diante das evidências de que o neto de Tancredo não é a flor que alegava cheirar (sem nenhum trocadilho ou segunda intenção), o jornal paulista finalmente baniu das suas páginas o político mineiro, que envergonha a tradição política do Estado e, seguramente, faz os ossos do avô tremerem no túmulo.

Aécio é substituído nesta segunda pelo jornalista Marcos Augusto Gonçalves, que endereça despedida acachapante ao político mineiro. Pelo jeito, os artigos escritos pela assessoria do senador não incomodava apenas a este modesto escriba. O parágrafo de abertura do sucessor de Aécio na “Folha” é demolidor para o que ainda poderia restar da dignidade de Aécio:

“É com satisfação que me vejo a suprir por um dia a ausência do ex-senador Aécio Neves neste espaço - do qual, enfim, se despede. Alivia-se o leitor de suas chorumelas, e o país, de uma fraude moral e política que obteve 51 milhões de votos no último pleito”.

Dizer mais o que meus caros 17 leitores. A ‘Folha’ despachou Aécio de volta à sua insignificância, pelo menso do ponto de vista intelectual. Ainda assim, o jornal faz estranho malabarismo para defender o paulista Michel Temer, desde aquele estranhíssimo texto da quinta-feira da semana passada, em que declarou não serem ‘conclusivas’ as denúncias de Josley Batista na conversa gravada no escurinho da garagem do Palácio do Jaburu com o presidente .

Aécio escrevia semanalmente na 'Folha' desde março de 2015. O agora ex-presidente do PSDB também havia sido o titular de coluna entre agosto de 2011 e 16 de junho de 2014, logo após ter sido escolhido por seu partido para disputar a Presidência da República. A 'Folha' perdeu o encanto com o mineiro. Já não era sem tempo. 

Imprimir

E QUINQUINHA DEU LUZ AO PARQUE UIRAPURU...

No Sábado, 20 Maio 2017 11:02.

Prefeito reage às críticas e manda religar provisoriamente iluminação da principal obra do petismo em Manga

Imagem: Clever Inácio - www.norticias.com.br 

Aos poucos o calundu do prefeito de Manga, Joaquim Oliveira, o Quinquinha do Posto Shell (PPS), cede espaço a algum resquício de racionalidade. Pressionado por críticas constantes da oposição e até mesmo de aliados, o prefeito anunciou na sexta-feira (19), com cinco meses de atraso, a religação da iluminação do Parque Uirapuru.

A obra foi pensada para ser o cartão postal da cidade e teria sido a marca da passagem do PT do deputado Paulo Guedes pela Prefeitura de Manga. Inaugurada às pressas no apagar das luzes do mandato, no final do ano passado, acabou sendo mesmo o grande mico da administração do prefeito Anastácio Guedes (PT).

As luzes do Uirapuru deram novamente vida nova às noites da cidade, assim como já acontecera no curto período em que funcionou, em dezembro do ano passado, nos dias que antecederam a posse do prefeito Quinquinha. Antes tarde do que nunca.

Este Blog foi o primeiro a apontar a incoerência e o desrespeito para com a população com a decisão de prefeito em fechar o parque, com o corte da iluminação e a interdição da ponte de acesso a uma das ilhas e a academia de ginástica que existem no local. Vejam o que escrevi em 4 de março deste ano no artigo ‘Manga bem que merecia mais’ :

“Quinquinha parece não ter nada a oferecer, a não ser reclamar de que o mundo conspira em seu desfavor. Para piorar, boicota à luz do sol a principal realização do petismo em Manga, a saber o Parque Uirapuru, que assim como a Lava Jato é um patrimônio do Brasil, se transformou em conquista inalienável dos manguenses – que mereciam mais, muito mais. Só para ficar no slogan de campanha do prefeito sem rumo nem prumo”.

O prefeito criticou o fato da ligação feita pelo ex-prefeito Anastácio Guedes ter sido provisória, mas repete o mesmo erro. Em seu perfil no Facebook, Quinquinha diz que “a nova ligação também é provisória, pelo prazo de 60 dias, prorrogáveis”. 

Política rasteira

Imprimir

GOLPISTAS GOLPEADOS

No Quinta, 18 Maio 2017 08:01.

Temer e Aécio se uniram para derrubar Dilma e enfrentam agora risco iminente de queda, após ação de procuradores

Choveu forte na noite do dia 17 de maio, no exato momento em que o jornalista Lauro Jardim publicou em seu blog, no jornal ‘O Globo’ as informações que tiveram efeito de hecatombe sobe o Palácio do Planalto. Foi, oxalá, metáfora oportuna de que é preciso lavar toda a sujeira que deixou perplexa a Nação, agora em meio à maior crise de sua história.

Os fatos que vieram a lume dão conta que o presidente Michel Temer foi gravado em diálogo para lá de embaraçoso com Joesley Batista, um dos donos J&F (a empresa controladora da JBS, mais conhecida pela marca de carnes Friboi). O assunto corre por toda a rede, desnecessário repetir, apenas com o lembrete de que Temer agiu para comprar o silêncio do ex-deputado Cunha e homem forte da República Eduardo Cunha -- responsável em grande medida pela cassação da ex-presidente Dilma Rousseff.  

O fato concreto é que Michel Temer perdeu toda e qualquer condição de governabilidade e só lhe resta um último gesto de dignidade: renunciar ao cargo. Não cabe aqui o argumento de que isso vai agravar ainda mais a já graves crises econômica e política que o país atravessa. A crise é subproduto da corrupção já há algum tempo. Ou o país enfrenta isso em definitivo, com um sonoro não a essas tentativas de tergiversação das elites do Executivo, Legislativo e Judiciário, ou jamais vamos recuperar nosso orgulho e sentimento de Nação.

Temer e o senador mineiro Aécio Neves foram protagonistas de bastidores do movimento que levou ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, cada vez mais caracterizado como golpe parlamentar – a despeito de todo desgoverno que Dilma legou ao país.

Fiador das reformas neoliberais que Temer tentava levar adiante, Aécio é, neste momento, um cadáver político. Não terá outra alternativa: deve renunciar ainda hoje à presidência do PSDB. Dificilmente escapa da cadeia, após ter a entrega da propina pedida à JBS monitorada pela Polícia Federal.

Acusados de golpistas pelo petismo, Temer e Aécio foram eles mesmos enredados pelas artimanhas dos donos da JBS. A delação dos irmãos Batista tem o diferencial de ter sido seguida das chamadas "ações controladas" feitas pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e Polícia Federal. Ação controlada é um eufemismo para cilada, por se tratar de mecanismo de investigação em que o flagrante do crime é calculado para garantir a geração de provas. A Polícia Federal estava por trás dos passos da turma ligada a Temer e Aécio, com câmaras e microfones ligados para a produção de provas. 

Podridão moral

Imprimir

TOMA LÁ DA CÁ DAS REFORMAS

No Quarta, 17 Maio 2017 13:41.

Temer assina MP que prevê o parcelamento da dívida previdenciária dos municípios

O presidente da República, Michel Temer, assinou na terça-feira (6) a medida provisória que prevê o parcelamento da dívida previdenciária dos municípios. O ato aconteceu durante a cerimônia de abertura da XX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios e configura mais uma concessão do governo na tentativa de aprovar a reforma da Previdência.

A medida prevê o parcelamento dos débitos dos municípios em até 200 meses, a redução de 25% dos encargos, 25% da multa e 80% dos juros incidentes. Ao anunciar a normativa, Temer reiterou a necessidade de serem feitas as reformas para o desenvolvimento dos Entes. “Seguramente, eu posso dizer aos senhores, que logo depois de vencida essa etapa inicial das reformas fundamentais para o Estado brasileiro, nós vamos caminhar para o fortalecimento da federação”, reforçou.

A flexibilização de Temer com as prefeituras caloteiras em relação ao INSS de certa forma anula o argumento de que a população deve se sacrificar no tempo presente como forma de garantir as aposentadorias no futuro próximo. O governo também prepara perdão para as dívidas rurais. Tudo isso somado às muitas concessões que deixaram de fora da reforma os servidores estaduais e municipais, além de alívio para categorias especiais, casos dos militares, professores e trabalhadores rurais, também fica fragilizado o discurso oficial de que a não aprovação da reforma da Previdência Social vai inviabilizar o país para todo o sempre.

A impressão que se tem é que os ganhos com a eventual aprovação da reforma previdenciária já começam a ser anulados com os custos dos perdões como esse dado aos prefeitos. Na prática, Temer concede certidão negativa de débito com o INSS às prefeituras devedoras da previdência, o que automaticamente permite o acesso às emendas orçamentárias incluídas por deputados aliados dos prefeitos desses mesmos municípios.

No encontro com os prefeitos em marcha aqui em Brasília, Temer lembrou outra iniciativa da União como forma de fortalecimento dos entes: a repatriação de recursos remetidos ao exterior sem a devida declaração à Receita Federal. Na avaliação do presidente, a inclusão dos municípios na partilha da multa no final do ano passado e também neste ano foi fundamental para amenizar os efeitos da crise. “Muitos dos municípios conseguiram fechar o seu balanço no dia 30 de dezembro e no mesmo dia nós editamos uma Medida Provisória autorizando a repartição da multa”, destacou.

Reforma tributária

Imprimir

EIS QUE SANGRA UM CORAÇÃO VALENTE

No Sábado, 13 Maio 2017 09:30.

Delações de marqueteiros desmancha altivez dos vitimados com que Dilma pretendia entrar para a história

“O que tá bom, vai continuar. O que não tá a gente vai melhorar”, dizia em certo trecho a letra do ótimo jingle 'Coração valente', criado pelo publicitário João Santana para a reeleição da então presidente Dilma Rousseff em junho de 2014. Em ritmo de xote, o vídeo era emoção na mais alta octanagem e deve ter contribuído um pouco para a reeleição da presidente, ou presidenta, como ainda insistem os fieis do petismo.

O verso “Dilma, coração valente/força brasileira/garra dessa gente” embalava o sonho de grandeza do PT, no padrão de qualidade que levou João Santana a ser o ‘cara’, produto exportação do marketing político nacional para a esquerda terceiro-mundista nas Américas do Sul e Central. O tempo gira e a Lusitana roda, e as grandes amizades como a que unia Dilma, João Santana e sua mulher, Mônica Moura, viram pó. Assim como também viram poeira a altivez e a dignidade que Dilma tentava ostentar, desde que foi apeada do cargo de presidente há um ano.

Assista abaixo e rememore o clipping 'Coração valente':

Segundo Mônica e Santana, Dilma não só sabia da existência do caixa 2 nas campanhas petistas, como teria atuado para solucionar as dívidas milionárias das duas campanhas presidenciais das quais participou. O casal de marqueteiros baiano foi responsável pelas campanhas do PT à Presidência da República em 2006, 2010 e 2014.

A história do compartilhamento de um e-mail com nome e dados de acesso fictícios para a comunicação entre Dilma e Mônica quando a Lava-Jato começava a apontar sua artilharia na direção do Palácio do Planalto, então sob gestão da inquilina petista, é saborosa por relevar urbi et orbi os velhos vícios da militante comunista e seu período de luta armada, quando foi Dilma foi Estela, Wanda, Luiza, Marina, e Maria Lúcia - além de Joana D'arc. No Gmail clandestino, seu codinome era Iolanda.

Mônica, por sinal, diz que Dilma não confiava em ninguém, exceção feita a poucas pessoas, entre elas, João Santana, a quem admirava por sua inteligência. Mônica faz diagnóstico rápido e despretensioso para as dificuldades de Dilma para com o trato cotidiano com os políticos em geral, e com o Congresso Nacional em particular, motivos que contribuíram para pavimentar os caminhos para os rigores de sua cassação, com claros indícios da saída pela via do golpe parlamentar.

No rodapé da história

Imprimir

QUINQUINHA VETA FERIADO

No Quarta, 10 Maio 2017 17:54.

Prefeito segue lobby do comércio local e veta lei que criava o Dia da Consciência Negra

Sob a alegação de “inconstitucionalidade e contrariedade ao interesse público’, o prefeito de Manga, Joaquim Oliveira, o Quinquinha do Posto Shell (PPS, vetou integralmente projeto de lei aprovado pela Câmara de Vereadores para instituir, em âmbito local, o Dia da Consciência Negra no âmbito do município, com a criação de mais um feriado no calendário local em 20 de novembro.  

“O Dia da Consciência Negra é um feriado civil, e não cabe ao município institui-lo”, explicou o prefeito em mensagem enviada à Câmara. Quinquinha argumenta que o município só tem autonomia para a criação de feriados religiosos, limitado ao número de quatro eventos.     

O Dia da Consciência Negra é considerado ponto facultativo no plano nacional, mas sua oficialização pode ser decidida em âmbito local por estados e municípios, tornando feriado a data que lembra o dia da morte de Zumbi dos Palmares - que acontece no dia 20 de novembro.

O veto já era esperado, já que a Associação Comercial Empresarial e Industrial de Manga (Acim) fez pressão pela sua rejeição, com a alegação de que o novo feriado mudaria “os ideais o desenvolvimento de políticas de enfrentamento ao racismo e de promoção da igualdade racial, mas mudaria, sim, a economia do município, principalmente no setor empresarial”.

Imprimir

POR REFORMAS, TEMER ATENDE PREFEITOS

No Terça, 09 Maio 2017 08:05.

Governo sinaliza alongar prazo para pagamento de dívidas previdenciárias dos municípios

Vem aí medida provisória que amplia o prazo de parcelamento da dívida dos municípios com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O presidente Michel Temer cedeu aos apelos da prefeitada e decidiu alongar o perfil desse tipo de dívida para até 20 anos. O texto deve ser enviado ao Congresso Nacional na próxima semana, durante realização da XX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.

Segundo o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, cálculos da entidade apontam que  dívida das prefeituras junto ao INSS cresceu muito ao longo dos últimos anos, chegando ao patamar de R$ 100 bilhões.

A liberação das emendas é tentativa do governo Temer para cooptar apoio dos parlamentares às reformas trabalhista e previdenciária. Deputados, claro, que recebem pressão das suas bases por uma aliviada federal nas dívidas com a Previdência Social, a mesma que o governo tenta reformar com mudanças que dificultam a vida do trabalhador.

Atualmente, as prefeituras podem parcelar suas dívidas previdenciárias em até 60 meses (cinco anos), desde que deem uma entrada de 20% do valor devido. O governo já havia aceitado aumentar esse prazo para 180 meses, 15 anos, mas resolveu ampliar o prazo para os 240 meses, para atender às reivindicações dos prefeitos por medida que reduza o custeio dessas dívidas. O prazo maior reduz o valor das parcelas descontadas mensalmente na conta de repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

“A maior probabilidade está em aumentar o prazo de parcelamento para 180 meses, mas o governo está analisando 240 meses”, comemorou o deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), líder da maioria na Câmara dos Deputados.

Segundo a CNM, pelo mens 2.750 prefeituras têm pendências de pagamentos junto à Previdência Social. Os efeitos da dívida refletem sobre outras questões importantes como as emendas parlamentares. As dívidas com o INSS impedem a emissão de certificados necessários para acessar as emendas voluntárias apresentadas por deputados e senadores em busca de recursos para suas bases.

“Os próprios congressistas estão apavorados, porque eles têm emendas voluntárias, que não podem ser pagas porque o município está negativado”, explica Paulo Ziulkoski, presidente da CNM.

Encontro de contas

Imprimir

A PELEJA DE LULA COM O JUSTICEIRO MORO

No Domingo, 07 Maio 2017 12:58.

 

A semana promete. O ex-presidente Lula vai ficar frente a frente com o juiz Sérgio Moro, na quarta-feira em Curitiba. Será um tête-à-tête de egos pra ninguém botar defeito. Moro precisa mostrar serviço, depois de ter autorizado a prisão coercitiva de do ex-presidente há pouco mais de um ano. Do lado oposto, Lula e o PT se preparam para transformar o depoimento em ato político. Será oportunidade para denunciar a tentativa da direita em retirar o petista da disputa presidencial no ano que vem.

Moro vai ouvir Lula no escopo da ação penal que corre na 13ª Vara Federal de Curitiba, sob a acusação de ter recebido da OAS o tríplex na praia do Guarujá, em São Paulo. O juiz federal recebe pressão dos admiradores da operação Lava-Jato para enquadrar Lula ainda a tempo de vir a condenação em segunda instância, que automaticamente impediria o petista de entrar em disputas eleitorais por conta da Lei da Ficha Limpa.

Lula trafega na raia oposta: