logo 20182

HOSPITAL SOB NOVA DIREÇÃO

Ligado .

Fundação mantenedora do único hospital de Manga troca de comando após receber aporte inédito de recursos no ano da pandemia

Acesso para a ala administrativa do hospital de Manga, que vai mudar de comando após eleição da sexta-feira

Não foi adiante a tentativa da futura oposição em Manga de manter sob seu controle a entidade mantenedora do único hospital da cidade. O colegiado formado por 15 pessoas responsáveis pela escolha da direção da Fundação Hospitalar de Amparo ao Homem do Campo optou por Henrique de Almeida Fraga Júnior como novo diretor-presidente da entidade.

A decisão barrou a tentativa de pessoas ligadas ao ainda prefeito, Quinquinhas de Quinca de Otílio, o Joaquim do Posto (PSD), de ter sob seu controle o único hospital do município. A unidade tem jurisdição em cinco cidades e público potencial de 60 mil pessoas para prestar atendimento.         

O cargo de presidente da Fundação Hospitalar não é remunerado, mas ainda assim, aparece como objeto de disputa entre as forças políticas locais a cada mudança de mando no município.

Não é o melhor emprego do mundo. Muito pelo contrário: a Fundação é dona de uma dívida impagável e agora trafega sob o fio fino da gestão finalística da maior crise sanitária da história do município.  

Henrique Fraga (Pros)chegou a ser cotado para disputar o cargo de presidente da Fundação Hospitalar há quatro anos, quando era aliado de Quinquinhas. Ele acabou sendo indicado para a Secretaria de Governo no atual mandato, mas rompeu com o ainda prefeito há quase dois e agora se alimou à oposição petista. 

O controle do hospital interessa aos chefes da política local, porque serve para acomodar aliados sem cargo e ter o domínio sobre as necessidades da população na área de saúde. 

A eleição para a presidência da Fundação Hospitalar aconteceu na sexta-feira (18), com vitória folgada da chapa ligada ao prefeito eleito, Anastácio Guedes (PT). Henrique Fraga venceu o pastor Valdemy Alencar Val pelo placar de nove votos a quatro.

Houve duas abstenções, uma delas foi a atual secretária de  Saúde, Lucilene A direção da Fundação é composta por 11 cargos, distribuídos entre os conselhos Diretor e Fiscal da entidade.

COLEGIADO

Os quinze delegados com direito a voto na eleição para a direção da Fundação representam entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil, sindicatos dos Trabalhadores Rurais e Produtores Rurais, Loja Maçônica, Câmara dos Diretores Lojistas, igrejas Católica e Batista, além de outras entidades da sociedade civil local e da própria Fundação Hospitalar, que tem direito a um voto na eleição.

Henrique Fraga, um aliado de Quinquinhas há quatro anos, vai presidir a Fundação em governo petista  

A Prefeitura de Manga tem a prerrogativa de indicar dois delegados à votação (os secretários de Saúde e Educação). Mesmo com essa vantagem no processo eleitoral, a atual administração tomou mais um chocolate nas disputas com o grupo político que sagrou-se vencedor nas eleições municipais de 15 de novembro.

A nova direção da Fundação é composta ainda pelo advogado Edilson Silva Pinto, o Saruga (vice-presidente), Bárbara Oliveira de França (diretora-administrativa), Milene Santos de Oliveira (secretária-geral), Maxmiliano Raniery Vieira (tesoureiro), além de Jercílio Vieira Lima (suplente de tesouraria) e Weber Rodrigues Marra (suplente da secretária-geral).

Foram eleitos para o Conselho Fiscal o advogado Jorge Fernando Freitas Wianey e os contadores Alessandro Alencar Torres e Rodrigo França Pinheiro.

MELHOR ASSIM

PRIMEIRO ESCALÃO

Ligado .

Anda sem confirmação oficial, nomes do secretariado de Anastácio estão praticamente definidos

Karina Pinheiro, Júnior Magalhães, Gilson Rodrigues e a vice, Cassília Rodrigues, são citados para o 1º escalão da gestão Anastácio  

Nenhum segredo é impermeável quando há mais de duas pessoas envolvidas numa conversa. O prefeito eleito de Manga, Anastácio Guedes (PT), bem que tentou, mas, vaza daqui, escapa dali, boa parte dos nomes que vão compor os primeiro e segundo escalões da sua gestão já circulam pela rádio corredor.

A 10 dias da posse, é praticamente certo o nome da advogada Karina Pinheiro (PSB) para a Secretaria de Educação. Karina disputou e perdeu a eleição para vereador, mas atuou como inspetora escolar por um tempo e tem sido reconhecida como um bom nome para comandar o setor depois do estrago que a pandemia do coronavírus fez na vida escolar do município.

A saúde, outro setor importante agora que a Sars-Cov2 ameaça recrudescer, deve ser ocupada pela vice-prefeita eleita, Cassília Rodrigues, a Cassília Ação Social, outro nome ligado ao PSB.

CHAMA A CASSÍLIA

O nome da vice-prefeita não era cogitado para o primeiro escalão ou, no máximo, como boa opção para a Ação Social, mas diante da dupla recusa da ex-secretária de Saúde Vânia Maria Botelho Magalhães e da servidora Lara Denise Müller, a Lara Atual, em assumir a função, o prefeito Anastácio optou por indicar Cassília para a pasta-chave nesse primeiro ano de mandato.

Estão praticamente confirmados ainda os nomes de Júnior Magalhães (Governo) e Gilson Rodrigues Alves, o Gilson Santa Rita (Obras e Transportes). Júnior Magalhães é indicação da Democracia Cristão e topou entrar para o governo depois que sua mulher, Vânia Botelho, recusou a Secretaria de Saúde. Gilson seria uma escolha pessoal do prefeito Anastácio, sem vinculação com os partidos que participararm da sua coligação.

Gilson e Magalhães participaram da coordenação da campanha de Anastácio, uma espécie de treino a pronto que os habilitou a serem convocados para participar da partida oficial – com o perdão dos meus três leitores para essa metáfora bem mequetrefe sobre o futebol.

NOVAS SECRETARIAS?

DRA. NÍVEA DIPLOMADA

Ligado .

Justiça Eleitoral suspende decisão de primeira instância e determina diplomação da prefeita e vice eleitos em Itacarambi 

Reviravolta na novela da judicialização das eleições municipais em Itacarambi, no extremo Norte de Minas. O juiz federal Itelmar Raydan Evangelista, do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, acatou mandado de segurança para sustar a suspensão da diplomação da prefeita eleita daquele município, Nívea Maria de Oliveira, a Dra. Nívea, e do seu vice, Sérgio Veloso da Fonseca, o Serginho, ambos do PP.

Em despacho no início da noite da quinta-feira (17), o juiz Itelmar Raydan invalidou a tutela provisória concedida pelo juiz eleitoral Daniel Henrique Souto Costa, da Comarca de Januária, em resposta à ação de investigação judicial eleitoral (Aije) de autoria do Ministério Público Eleitoral local, em que se aponta abuso do poder político por parte da então candidata e prefeita Nívea Oliveira.

O MP entrou com denúncia de mais de 400 páginas com indícios do que seriam ameaças e coação de funcionários, inclusive com a demissão de um comissionado que se negou a fazer declaração pública sobre a adesão à sua campanha. 

VEREDICTO DAS URNAS

AGORA VAI?

Ligado .

Ministro promete iniciar pavimentação da BR-135 no próximo ano

Enfim um alento para os novos padrinhos do asfalto da rodovia federal BR-135 entre Manga e Itacarambi, no extremo Norte de Minas. Em visita a Minas Gerais nesta quinta-feira (17) para o lançamento da pedra fundamental para a pavimentação de trecho da BR-367, entre os municípios de Salto da Divisa e Jacinto, no Vale do Jequitinhonha, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse que o subtrecho da BR-135 no extremo Norte de Minas terá início em 2021.

A refederalização da rodovia, segundo o ministro, será publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira. A publicação no DOU confirma a devolução pelo estado de Minas do traçado entre Manga e Itacarambi para a gestão da União. Segundo Tarcísio, o governo federal dependia dessa medida e pretende iniciar a pavimentação no ano que vem.

Como mostramos aqui, havia a expectativa dos neobolsoranistas em Minas para que o presidente da República fosse a Manga hoje, quando anunciaria a retomada a pavimentação da BR-135, mas a agenda da comitiva presidencial prevê qe ele vai fechar o dia em Porto Seguro, na Bahia. O deputado estadual Arlen Santiago (PTB), contava com o prestígio do senador Carlos Viana (PSD) para convencer o presidente a fazer um esticão até Manga, o que não aconteceu.  

PPI

É PRA QUANDO, DOUTOR ARLEN?

Ligado .

Por arrecadação, futura gestão petista em Manga torce para que Arlen 'Promessa' tenha sucesso com a campanha pró-asfalto na BR-35

O deputado estadual Arlen Santiago (PTB) tomou a pavimentação da BR-135 entre Manga e Itacarambi como uma espécie de obsessão, uma meta de vida e da sobrevida para uma trajetória de homem público já nos seus estertores. O parlamentar passou anos torcendo contra a obra do asfalto, quando ela estava sob o comando das gestões petistas de Lula e depois Dilma Rousseff, a ‘presidenta’ de péssima memória para o país.

Mas não é só o companheiro Arlen 'Promessas" que espera ansiosamente pela pavimentação da BR-135. Os irmãos petistas Paulo Guedes (deputado federal) e Anastácio Guedes (prefeito eleito de Manga) sonham com o chão preto já no próximo ano tão quanto ou até mais que Arlen & Amigos. O motivo é simples: a obra do asfalto gera uma receita extra não desprezível a título de ISS, o imposto sobre serviços que é de arrecadação municipal.

O companheiro Arlen, na sua cruzada incansável pró-asfalto, ainda é capaz de dar uma mãozinha importante para o adversário Anastácio Guedes, para desespero do aliado e ainda prefeito de Manga, Quinquinhas de Quinca de Otílio, o Joaquim do Posto (PSD). Quinquinhas, tornado inelegível  por crime de improbidade administrativa em sentença lançada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais no início deste mês, conta um fracasso da gestão petista para vislumbrar algum futuro político em Manga.  

COMÍCIO

AVISA LÁ QUE VOU MAIS TARDE...

Ligado .

Bolsonaro frustra Arlen 'Promessa' Santiago e não vai a Manga autorizar asfalto da BR-135 nesta quinta-feira

Reunião no gabinete do ministro Tarcísio de Freitas para reivindicar a pavimentação da BR-135 em julho de 2019: até agora, nada 

Mais uma decepção para o deputado Arlen Santiago (PTB) e sua patota no sonho (sim, ainda é sonho) da retomada da pavimentação da BR-135 no subtrecho entre Manga e Itacarambi, no extremo Norte de Minas. Arlen contava com o prestígio do ex-jornalista e senador Carlos Viana (PSD) para levar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a Manga nesta quinta-feira (17).

Bolsonaro visita daqui a pouco a cidade de Jacinto, no Vale do Jequitinhonha, para autorizar a contratação da empresa responsável pela pavimentação de pequeno trecho ainda não asfaltado da BR-367, entre Jacinto e Salto da Divisa.

Os recursos para essa obra, no valor de R$ 60 milhões, são da rubrica emendas parlamentares e foi alvo de briga intestina nos últimos dias entre a bancada federal de Minas na Câmara dos Deputados e esse senador Carlos Viana, que queria reivindicar a obra para si, bem como o DNA do decadente bolsonarismo em Minas Gerais.

FICA PRA DEPOIS

SEM DIPLOMA

Ligado .

Justiça suspende diplomação da prefeita reeleita e do vice em Itacarambi

Reeleita com cinco votos de vantagem para seu segundo mandato, prefeita Níveia é acusada pelo MPE da captura ilegal de sufrágios 

O juiz eleitoral Daniel Henrique Souto Costa, da Comarca de Januária, no extremo Norte de Minas, acaba de conceder tutela provisória de urgência solicitada pelo Ministério Público Eleitoral em ação de investigação judicial eleitoral (Aije) para suspender a diplomação da prefeita eleita de Itacarambi, Nívea Maria de Oliveira, a Dra. Nívea, e do seu vice, Sérgio Veloso da Fonseca, o Serginho, ambos do PP.

A dupla é unha e carne com o deputado estadual Arlen Santiago (PTB), que viu seus candidatos a prefeito serem derrotados em vários municípios da microrregião (Januária, Manga, Montalvânia, Matias Cardoso e São João das Missões, entre eles).

O Ministério Público Eleitoral de Januária encaminhou à Justiça Eleitoral um calhamaço de denúncias com mais de 400 páginas, em que diz ter reunido farta documentação comprobatória de que teria havido prática de abuso do poder político na eleição de Itacarambi.

A prefeita Nívea Oliveira, vale destacar, foi reeleita com apenas cinco votos de vantagem. Isso mesmo, que você leu: cinco votos de frente.

O MPE diz ter indícios de que apenas na coação a servidores do setor de compras do município teria sido possível à prefeita reeleita reverter eventual desvantagem nas urnas contra seu principal adversário e segundo colocado no pleito, o professor aposentado Paulo Azevedo (DEM).

Na decisão de mais de 40 páginas, fato incomum para esse tipo de ação, o magistrado Daniel Henrique Souto determinou ainda que o futuro presidente eleito para a mesa diretora da Câmara de Vereadores “assuma e exerça o cargo de prefeito, até que sobrevenha decisão definitiva deste Juízo ou do Tribunal Regional Eleitoral, ou, ainda, haja nova eleição, conforme o caso”.

O juiz concedeu ainda o prazo de cinco dias para que a coligação da prefeita Nívea apresente sua defesa.

A cerimônia de diplomação dos prefeitos eleitos da microrregião sob jurisdição da Comarca de Januária está prevista para acontecer nesta quinta-feira (17).

Os nomes dos eleitos em Itacarambi na eleição majoritária devem ficar de fora da lista dos participantes da diplomação - a menos que a decisão seja revertida, o que é pouco provável.

Exepcionalmente neste ano, a diplomação não será presencial e sim por meio de vídeoconferência, em razão da pandemia da Sars-CoV-2. Com início previsto para às 16:00, a cerimônia conta com a participação dos eleitos dos municípios que compõem a 148ª Zona Eleitoral Januaria (Pedras de Maria da Cruz, Cônego Marinho, Bonito de Minas e Januária).

No caso de Itacarambi, participam apenas os vereadores eleitos.

O site apurou que os advogados da prefeita Nívea vão tentar reverter a antecipação de tutela antes do evento, mas é improvável que isso aconteça em prazo tão curto. Até a data da posse, contudo, o quadro pode mudar.

O CASO

COFRES CHEIOS, APESAR DA PANDEMIA

Ligado .

Maria absoluta dos prefeitos declaram pagar servidor em dia metade deles vão pagar 13º salário em parcela única

Pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM) com respondentes de 78,8% das prefeituras brasileiras mostra que a crise do coronavírus impulsionou o pagamento de obrigações como o décimo terceiro e não o contrário, como indicaria uma crise dessas proporções.

O levantamento da CNM por contato telefônico e formulário na internet com todos os municípios do país mostrou que parcela majoritária das prefeituras estão adimplentes quanto ao pagamento dos salários do funcionalismo municipal. Nada mais nada menos que 98,2% dos 4.283 municípios que responderam à enquete da entidade disseram que as remunerações dos funcionários municipais estão sendo pagas em dia.

A notícia é boa e não tem sido a regra dos últimos anos dessa crise infindável em que o Brasil se meteu desde o início da crise financeira provocada pela quebra do mercado imobiliário dos Estados Unidos em 2008.

Os cofres dos municípios andam até bem recheados porque o governo federal repassou – sem muito critério – volume inédito de recursos para os prefeitos enfrentarem a pandemia do coronavírus. Agora, a prefeitada precisa gastar esses dinheiros e optou por quitar débitos dentro da gestão e evitar eventuais processos de improbidade no futuro.

13º NO PRAZO LEGAL

O VÍRUS ANDA SOLTO

Ligado .

Mortes por Covid crescem 75% em Januária desde a eleição e deixa em alerta futura gestão

Trabalho de campo: força-tarefa atua durante visita à comunicade de Angicos no mês de junho: doença volta a preocupar e matar

O boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (14) pelo município de Januária dá conta de 14 óbitos confirmados para coronavírus. O número é 75% superior àquele verificado há um mês, quando aconteceram as eleições em primeiro turno no município. Há um mês, a Secretaria de Saúde de Januária informava oito óbitos pela doença.

O município registrou quatro mortes pelo coronavírus nas últimas duas semanas. Esse é um dado que preocupa, porque mostra que a Sars-Cov-2 entrou no modo recidiva - o reaparecimento de uma doença após um intervalo de tempo em que seus efeitos foram mais brandos.

Desde o início da pandemia, em março, foram registradas 2.235 notificações de casos suspeitos para a doença. O município tem, até agora, 489 diagnósticos confirmados para o coronavírus. Desse total, 439 são considerados casos curados. O serviço de saúde local acompanha outros 37 pacientes em isolamento domiciliar.

DESAFIO

ANASTÁCIO VAI NA FLAUTA

Ligado .

Prefeito eleito adia anúncio de secretariado para semana do Natal e eleva ansiedade de aliados

 Os eleitos Anastácio e a vice Cassília: transição no escuro e demora para anunciar time de governo

Neste final de semana completa-se um mês das eleições municipais em primeiro turno. Pelo menos em Manga, nada ou muito pouco aconteceu desde então.

Não há transição em andamento entre os governos que sai e o que entra. Noutra direção, o prefeito eleito, Anastácio Guedes (PT), adiou o anúncio dos nomes que vão ocupar o primeiro escalão da sua administração para a semana que antecede o Natal. 

Há um método nessa demora, segundo o site apurou, mas o tempo urge e deixa ansiosos os aliados do grupo vencedor das eleições de novembro. Procurado, Anastácio se limita a dizer que a divulgação dos nomes que vão compor seu primeiro escalão será feito em bloco e de uma só vez.

"Só vamos anunciar quando estiver tudo acertado e todos os nomes escolhidos", diz, lacônico, o prefeito eleito. A "lista fechada" do futuro secretariado vai ficar para depois do dia 18, prazo-limite para a diplomação dos eleitos. 

SEM RUÍDOS

A estratégia, ao que parece, é evitar a interferência nas indicações para o primeiro escalão em duas eleições consideradas essenciais para a futura administração: a escolha do novo presidente da Fundação Hospitalar de Amparo ao Homem do Campo, com eleição prevista para a próxima sexta-feira (18), além da eleição para a mesa diretora da Câmara de Vereadores, na virada do ano.

O que se pretende evitar são eventuais ruídos que desagradem parcelas de sua base aliada já na largada para o novo governo - o que, convenhamos, é tarefa quase impossível. Um opção por um grupo aqui implica em insatisfações naquele outro acolá. 

O prefeito eleito tem se reunido com uma espécie de conselho informal integrado por Júnior Magalhães, Gilson Rodrigues Alves e o advogado Edilson Pinto, o Saruga. O trio atuou como coordenadores da campanha eleitoral e ganhou acesso aos ouvidos do eleito e de sua vice, a vereadora Cassília Rodrigues (PSB). Os três têm expectativas de ocupar cargos no futuro governo. 

QUEM MANDA 

A ordem para segurar o processo de escolha do primeiro escalão teria partido do deputado federal Paulo Guedes, o morubixaba do petismo local. Anastácio, claro, tenta desvincular a imagem de que só faz o que seu mestre mandar.

O futuro prefeito tem dito a aliados mais aflitos com a demora na tomada de decisões que, após participar das quatro últimas eleições  municipais, ele juntou bagagem e luz própria para saber o que quer - e quando quer, sem precisar obeder às ordens de quem quer que seja.

O caso é que a demora na escolha do time deixa os aliados ansiosos. Uma pessoa que vai assumir, por exemplo, a bagunça da educação municipal herdada do atual governo em surto pandêmico não pode ser convidada de vésperas. O mesmo vale para a saúde, ainda em meio ao manejo da maior crise sanitária da história do município.

De resto, as pessoas têm planos e não podem marcar uma viagem de férias ou qualquer outro compromisso com o risco de serem chamadas às pressas para participar de um governo. Sem falar naqueles que estão desempregados de outras funções e sonham com nova ocupação.  

SACO DE BONDADES

O que Paulo Guedes e Anastácio parecem ter esquecido é que ninguém acrescenta ao currículo o título pouco enobrecedor de ficha-suja, cassado e inelegível por acaso. A falta de decisões do lado do prefeito eleito tem como contraponto a enxurrada de decisões daquele que vai sentar a bunda na cadeira de mandatário até a virada do mês.

Prefeitura de Manga no detalhe de imagem aérea da área central da cidade: risco de herança maldita para novo governo 

O atual ocupante do cargo, o Cassado por decisão judicial intermediária, resolveu abrir um inusitado saco de bondades que sempre negou aos servidores municipais -  justamente no apagar das luzes do seu terceiro mandato.

O Ímprobo, e não sou eu que estou dizendo, mas o Tribunal de Justiça de Minas Gerais em decisão lançada no iníco deste mês por três desembargadores da  2ª Câmara Cível, resolveu dar posse a quase 60 servidores aprovados um concurso de 2012 e que foi alvo de contestação judicial. Em tese, o trem da alegria de final de mandato deveria estar prescrito, mas a turma 'tomou posse' com pompa e pandemia e vai engrossar o custo da folha de pagamento no futuro governo.

ABONO COVID