logo 20182

SONHO QUE SE SONHA, E SÓ

Ligado .

Candidato do Cidadania não decola em pesquisa e desiste da disputa a prefeito em Januária

Domingo ele não vai. O engenheiro civil Daniel Fraga (Cidadania) anunciou na quarta-feira (4/5/2020) a retirada de sua candidatura a prefeito de Januária. A chapa de Fraga, casualmente batizada de ‘Construtores de sonhos’, tinha como vice o sindicalista Afonso José dos Santos, o Afonso do Sindicato (Cidadania).

O projeto político da dupla Daniel/Afonso tinha as bênçãos, ainda que à distância, do advogado e ex-prefeito Maurílio Arruda (2009/2012), que, por sinal, teve o mesmo Afonso do Sindicato como seu vice-prefeito. Daniel fez uma campanha baseada em idealismo e nos sonhos que anunciava construir, mas a chapa é quante e o jogo bruto. Não deu.

Fac-símile da carta-renúncia da chapa Daniel Fraga/Afonso do Sindicato: ganho de experiência

“Recuar, não seguir, voltar atrás, sempre é difícil. Devemos ter sempre a consciência de que a cada decisão que tomamos, renunciamos a uma opção [...]. As dificuldades de campanha, a pandemia, o respeito à família, aos amigos e apoiadores, foram fatores cruciais para essa tomada de decisão”, escreveu Daniel - numa melancólica nota de despedida do processo eleitoral.

Fraga diz “que saiu mais forte e mostrando dignidade, com a certeza de que plantamos uma semente”, escreveu o ex-candidato, que anunciou ainda sua decisão de não apoiar nenhum dos concorrentes, mas liberou seus eleitores para “escolher quem melhor representa os anseios da população”.

NÃO DECOLOU

Daniel Fraga definiu que seria candidato em meados de julho deste ano. No plano de voo, o ex-engenheiro da Copasa imaginava crescer na intenção de voto até o final de outubro, quando se posicionaria entre os dois nomes mais cotados para ganhar a eleição em Januária.

O projeto, entretanto, não vingou e Fraga optou por abortar a caminhada rumo às urnas – até como forma de se preservar para futuros embates.

Pesquisas realizadas pelos partidos para consumo interno mostram um desempenho pífio do candidato do Cidadania – na melhor projeção, ele alcançava 5% das intenções de voto na virada de outubro para novembro.

TOSTÃO CONTRA MILHÃO

Além do desempenho aquém do esperado, Daniel teve ainda dificuldades financeiras para tocar a campanha. Ao perceber que seria quase impossível bancar a disputa do ‘tostão contra o milhão’ com pelo menos duas candidaturas no páreo -- não por acaso as melhores colocadas nas pesquisas --, ele preferiu jogar a toalha.

Pesou ainda para a difícil decisão de Fraga e Afonso do Sindicato, o  prometido, mas frustrado, apoio do atual prefeito de Montes Claros Humberto Souto (Cidadania).

Filiado ao mesmo partido da dupla januarense, Humberto Souto tem o apoio do deputado estadual Arlen Santiago (PTB) à sua campanha à reeleição e, segundo uma fonte, desistiu de gravar um vídeo de apoio ao companheiro de sigla em Januária para não criar atritos na cena local. Fraga chegou a mencionar o apoio do bem avaliado prefeito de Montes Claros, mas o vídeo não saiu.

A disputa para prefeito em Januária contava com oito candidatos, um recorde. Além de Daniel Fraga, concorrem o atual prefeito Marcelo Félix Araújo (Republicanos), o assessor parlamentar Maurício Almeida (PP), os ex-vereadores João Lima Filho, o Joãozinho Lima (PTB), e Francisco Eustáquio do Nascimento, o Eustáquio do Sesp (PDT), o servidor do Ministério Público Ricardo Monteiro (PC do B) e a professora Joanice Ferreira Meireles, a Jane Meirelles (Psol), única mulher na corrida eleitoral.

Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar