logo 20182

ELEIÇÕES: A SEMANA DO DATA CARREATA

Ligado .

Na reta de chegada, campanhas tentam influenciar voto do eleitor com disputa para ver quem vai levar mais veículos aos atos de campanha

Pela ordem, carro-passeatas de Anastácio, Quinquinhas e Carlitão: disputa para ver quem melhor mobiliza o eleitor

[ANÁLISE] - Que isolamento social que nada. O clima esquentou neste final da disputa eleitoral em Manga e muita gente deixou de lado os cuidados prudenciais para evitar contrair o coronavírus. Pandemia é para os fracos, como disse o outro aqui de Brasília. E aqui vai uma constatação espantosa: pode ser atribuída à categoria dos milagres o fato - positivo - de não ter acontecido um surto de covid em Manga e municípios da região.  

É fato: a reta final da corrida eleitoral para prefeito em Manga tem sido marcada por grande aglomerações promovidas pelos comandos das três principais campanhas na disputa pelo voto do próximo domingo. É o império do Data Carreata, o equivalente local para o Datafolha, Ibope ou outro instituto de pesquisa. Vox populi, vox Dei!

Bastante concorridos, os eventos políticos são uma mistura de carreata com passeata, na tentativa de mostrar força e motivar a adesão do eleitor indeciso em relação à escolha ou mesmo aqueles que ainda não têm um candidato para chamar de seu. Invariavelmente o povo se embola em carvavais fora de época, com muita gente sem máscaras ou com o aparato pendurado pelas orelhas. 

APOIADO!

Há ainda os mini-comícios em bairros da cidade e comunidades rurais. Quando não há garantia de plateia, as campanhas se encarregam de levar a claque para o bate-palmas e o indispensável grito de ‘apoiado!!!’.

A atual campanha chegou até a ter divulgação de pesquisa registrada na Justiça Eleitoral, o que é raro. Segundo o Instituto Veredas, em dados coletados no final de outubro, o ex-prefeito Anastácio estava na dianteira, com margem de 16% pontos percentuais à frente do prefeito Quinquinha e outros 19% de distância de Carlitão.

A pesquisa foi duramente criticada pelos adversários, que acusaram o PT de tentar manipular a vontade do eleitor. De toda sorte, aquele resultado já não condiz com a realidade, já que a campanha ganhou tração de lá para cá e as peças se mexeram no tabuleiro.

EMBOLOU?

Para quem consegue olhar de fora, sem a emoção do partidarismo ou ideologia em jogo, o Data Carreata indica que o jogo eleitoral em Manga está embolado entre o ex-prefeito Anastácio Guedes (PT), o atual prefeito Quinquinhas de Quinca de Otílio, o Joaquim do Posto (PSD), e o agroempresário José Carlito de Oliveira, o Carlitão (PSL).

Mas aqui vale um disclaimer: o Data Carreata não tem valor científico e o número de carros que determinado candidato coloca nas ruas da cidade não representam intenção de voto ou adesão para seu projeto eleitoral.

Esse tipo de movimento é pensado para chamar a atenção do eleitor indeciso que, sem outro parâmetro para avaliação, pode enxergar ali um indicativo para a tomada de decisão.

CARRO NÃO VOTA’

As três coligações programaram seus eventos para esta semana final da campanha. No sábado (7) foi a vez do PT mobilizar sua claque pelas ruas da cidade. O entorno do candidato Anastácio diz que foi o maior evento da história, embora essa medição careça de precisão.

Na próxima quinta-feira (12) será a vez do prefeito Quinquinha botar seus seguidores na ruas. O estreante Carlitão fecha a temporada de eventos eleitorais no sábado, a poucas horas do início da votação na manhã do domingo.

As campanhas, claro, vão tentar superar a passeata do petista Anastácio, na tentativa de levar o voto útil daquele eleitor que fica à espreita para carrear o voto para aquele nome que acredita ser o do vencedor.

Entre si, as campanhas desqualificam as carreatas adversárias com o surrado argumento do ‘carro não vota’. Por esse critério, uma boa carreata precisa ter povo nas ruas, a pé e, de preferência, demonstrando entusiasmo pelo candidato que segue adiante em cima de um caminhão de som.

PORTA-BANDEIRA

As campanhas também se acusam do fornecimento de gasolina e de importar eleitores de municípios vizinhos para engrossar seus movimentos. Uma boa carreata, diz uma fonte ao site sob o compromisso do anonimato, pode custar até R$ 30 mil com a contratação de trio elétrico, custeio do combustível e a contratação de ‘formiguinhas’ para balançar a bandeira do candidato.

Lotar uma passeata com essas ‘formiguinhas’ tremulando bandeiras e estandartes cria a ilusão de forte apoio popular que o candidato nem sempre tem. Nenhum candidato admite esse tipo de prática, claramente um crime eleitoral, mas essas táticas de campanhas existem e, de certa maneira, explicam o porquê das campanhas conseguirem realizar eventos mais ou menos similares.

Em sentido horário os candidatos Carlitão, Quinquinhas, Pastor Isaías, Anastácio Guedes, Luiz do Foguete e Adailton Locutor  

No caso de Manga, onde seis candidatos disputam a cadeira de prefeito, as campanhas do atual vice-prefeito Luiz do Foguete (PDT) e do pastor Isaías Nascimento (Rede Sustentabilidade) gravaram vídeos para as redes sociais condenando a prática das carreatas mais ou menos com o mesmo argumento: elas representam a interferência do poderio econômico nas campanhas municipais. A campanha de Adailton Silva, o Adailton Locutor (Patriotas), também não realizou eventos de rua.  

NÃO, NÃO VOU AGLOMERAR

Luiz do Foguete e Isaías disseram abrir mão dessa estratégia em razão da pandemia do coronavírus. Em obediência às recomendações das autoridades sanitárias e em respeito aos seus eleitores, os dois candidatos optaram por evitar expor as pessoas às aglomerações de rua.

O motivo real, obviamente, é a falta de meios para competir com as candidaturas ‘mais ricas’. Numa disputa eleitoral, quem tem poder de fogo vai usar como se estivesse em uma guerra. Dizer o contrário até serve de consolo, mas soa como pura demagogia.

Embora as carro-passeatas demonstrem certo equilíbrio entre as três campanhas mais endinheiradas, daqui a uma semana, quando o eleitor finalmente tiver ido às urnas, será possível saber quem tinha voto e quem só dispunha de carro para subir e descer pelas ruas dos bairros da cidade.

Vença quem vencer, é bom sempre ter no radar que governos são, por definição, ruins, quando não incompetentes. Temos na praça um bom exemplo que não nos deixa mentir.  

LEIA TAMBÉM:

MANGA ACELEROU NA MARCHA À RÉ

POEIRA E LAMA: O ASFALTO QUE NÃO SAI

ENTRE TAPAS E BEIJOS

CANDIDATOS REAGEM À PESQUISA DO PT

VEREDAS: ANASTÁCIO LIDERA EM MANGA

QUEM PAGA A CONTA?

A AJUDA QUE VEM DE CIMA

QUEM TEM MEDO DE CARLITÃO?

Comentários  
0 # pe de cabra 09-11-2020 19:35
... pois é, boa parte dos eleitores de Anastácio, gente humilde (até pedem desculpas pela eleição passada) não ostentam veículos luxuosos, mais estão ai...
Responder | Responder com citação | Citar
Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar