logo 20182

TEM SEGUNDA DOSE PRA TODO MUNDO?

Ligado .

Cassília diz que não há atraso na aplicação do reforço da vacina anti-covid


A vice-prefeita e secretária de Saúde de Manga, Cassília Rodrigues, não vê atraso na aplicação da segunda dose da vacina contra o coronavírus no município, a despeito do noticiário nacional trazer evidências de que a aplicação do imunizante foi suspenso em várias regiões do país nos últimos dias.

Segundo dados do último boletim de vacinação, o município de Manga aplicou até agora 6.961 das 6.970 doses do imunizante que recebeu nas versões CoronaVac (também conhecida como a vacina do governador João Dória, produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo, com matéria-prima fornecida pelo laboratório chinês Sinovac) e AstraZeneca (a vacina da Universidade de Oxford, que no Brasil é envasada pela Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro).

O município recebeu na quarta-feira (28) mais 385 doses via Gerência Regional de Saúde em Januária. O lote é mais um do total de 14 remessas de vacinas contra a covid recebidas pelo Norte de Minas. Na última segunda-feira, chegaram ao aeroporto de Montes Claros mais 27.250 doses de imunizantes, distribuídas para os municípios que compõem as regionais de saúde de Montes Claros, Pirapora e Januária.

QUILOMBOLAS

A vacinação em Manga ganhou tração nas últimas semanas com a chegada das doses destinadas a atender o público priorizado dos remanescentes quilombolas e povos ribeirinhos. Mas aqui surge um problema: o ritmo da vacinação para a primeira aplicação pode não acontecer com a dose de reforço que as duas vacinas em uso no município precisam ter.

A secretária Cassília, no entanto, não vê risco de atraso na imunização da população local. “Não é que a velocidade da segunda dose é baixa, a questão é que o intervalo entre as doses são diferentes entre um laboratório e outro”, ela explica. A CoronaVac tem intervalo de 28 dias entre a primeira e segunda aplicações. Para a AstraZênica esse prazo é bem maior, e vai até 12 semanas.

Cassília ressalta que a segunda dose para as populações quilombolas e ribeirinhas só vai acontecer entre os meses de junho e julho, quando, se espera, a oferta de vacinas seja mais ampla do que acontece neste final de abril.

A Secretaria de Saúde de Manga diz confiar na promessa da sua congênere estadual, que diz ter garantias para a oferta das vacinas para todos os imunizados com a primeira dose.

“A distribuição das etapas das doses da vacina segue a orientação da Secretaria Estadual de Saúde. A cada nova remessa recebida, o município verifica a dispensação de primeira e segunda doses, concomitantemente, para diversos grupos prioritários. Dessa maneira, trabalhadores da saúde, idosos, comunidades ribeirinhas e quilombolas e forças de segurança estão sendo contemplados com a vacina covid-19 à medida que as doses chegam ao município”, explica Cassília. 

Comentários  
0 # wagner 30-04-2021 18:19
acho engraçado, todo mundo quer ter internet, todo mundo reclama quando internet tá ruim, mas até hoje nenhum provedor foi convocado pra imunizar seus técnicos, e olha que ouve um decreto em janeiro, priorizando técnicos de provedores!
Responder | Responder com citação | Citar
Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar