logo 20182

FIM DO ENTRAVE NA BR-135 EM COCOS?

Ligado .

Dnit retoma pavimentação de trecho paralisado da rodovia federal na divisa entre Minas e Bahia

Retomada: Máquinas retomam o trajeto da BR-135 entre Cocos e a divisa com a Bahia próximo à ponte sobre o Rio Itaguari  

Notícias boas são artigo em falta na praça, mas de vez em quando acontecem e são bem-vindas. O consórcio Top/Geosistemas deu início, há pouco mais de duas semanas, às obras de engenharia para reparos e finalização do subtrecho da BR-135 entre a cidade de Cocos, na Bahia, e a divisa dos estados de Minas Gerais com a Bahia.

Cerca de 23 quilômetros da rodovia federal estavam abandonados há mais de sete anos, para desespero dos usuários da via entre as cidades de Santa Maria da Vitória, na Bahia, e Manga, em Minas, onde a pavimentação sequer começou no trecho até Itacarambi. Ese trecho, aliás, também passou para o controle da turma do Centrão, mas, até aqui, não tem solução à vista sobre o início das obras.

De volta à BR-135 no trecho que atravessa o município de Cocos, aos motoristas não restava outra opção a não ser perder tempo - e dinheiro - ao serem forçados a transitar por vários desvios de terra batida, além de arriscar a vida na passagem sobre uma velha ponte de madeira e de mão única sobre o rio Itaguari, na zona rural de Cocos.

Dessa velha e carcomida ponte de madeira é possível avistar a obra semi-construída de outra ponte, essa de cimento e concreto (na foto acima) sobre o Itaguari, ligando nada a coisa nenhuma e largada no meio do nada. A expectativa é de que, até o final deste ano, tanto as duas pontes existentes nesse trecho da rodovia, quanto sua pavimentação finalmente sejam liberadas para a passagem de veículos. 

Também conhecido como Lote 5 na linguagem técnica do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o subtrecho entre Cocos e a divisa com Minas contava com 80% dos trabalhos de pavimentação prontos, mas o término da obra se arrastou por anos até, tudo indica, finalmente ser concluída.

FOLGA NO COBERTOR

Além da falta de previsão orçamentária - só resolvida após o acordão entre o presidente Jair Bolsonaro e os partidos do Centrão para apoio político -, as obras de pavimentação da rodovia federal entre Cocos e a divisa Bahia/Minas também passaram por auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), que acusou irregularidades na implantação de obra rodoviária em desacordo com os parâmetros estabelecidos no termo de referência do edital que contratou os prestadores de serviço.

Basicamente havia erro de projeto na construção de rampa, com ultrapassagem do teto de 4,5% máximo para a rodovia de em região ondulada, e o uso de brita considerada não comercial, além da não conclusão dos processos de desapropriação de terras no traçado das faixas de domínio da rodovia, dentre outras irregularidades.

Na ordem para o reinício dos serviços, o superintendente regional do Dnit na Bahia, Antônio Carlos Cruz de Oliveira, diz que os serviços na BR-135 foram retomados em razão da “existência de recursos orçamentários e financeiros suficientes para acobertar a execução dos serviços”.

Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar