logo 20182

DONO DE JAVAPORCO CONTESTA BLITZ

Ligado .

Produtor alega desconhecimento sobre proibição da criação da espécie em cativeiro, reclama de multa e fala em desemprego após medida

O agroempresário Edvaldo Lopo Alckmin, dono da fazenda modelo Vista Alegre, em Manga, reclama, em nota que fez circular nas redes sociais, da atuação conjunta do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e do IMA (Instituto Mineiro de Agropecuária) que resultou em auto para o arresto de 227 cabeças do animal híbrido conhecido como javaporcos.

Os animais, por enquanto, permanecerão na fazenda Vista Alegre, com o proprietário na condição de fiel depositário. O Ibama, contudo, deve autorizar o abate do lote apreendido na operação da última quarta-feira (25) em Manga, porque o javaporco é classificado como espécime de alto risco ao meio ambiente e à sanidade da fauna nacional – além de ser causador de grandes estragos em plantações quando os rebanhos ficam fora de controle.

A inspeção dos órgãos ambientais na Fazenda Vista Alegre derivou ainda em multa no valor de R$ 47 mil ao produtor, autuado por manter a guarda de animal exótico com finalidade econômica. Edvaldo diz que vai recorrer da multa imputada pelo órgão federal e se diz injustiçado com a autuação.

O produtor diz ter sido alvo de denúncia e que, ao chegar à fazenda, os fiscais da inspeção nada encontarram - a não ser a criação de javaporcos, que ele diz ser autorizada pelos órgãos ambientais. Edvaldo diz praticar em sua pocilga todas as condições sanitárias, cobertura, alimentação e fonte de água e que está disposto a recorrer aos fóruns adequados para reverter a multa e a decisão que determinou o arresto e sacrifício dos animais. 

“Esse é o nosso país. Se confirmadas as ações do Ibama e do IMA vai sobrar o prejuízo alto e a demissão de três funcionários e país de família. Sem falar no encerramento da atividade, que é parte da integração sustentável com aproveitamento do soro, produção de gás metano e da adubação orgânica por ferti-irrigação que temos na fazenda”, ele diz.

DESCONHECIMENTO

Segundo Edvaldo, sua criação de javaporcos está ativa há aproximadamente 15 anos, após ter recebido, via a doação, um casal desses animais com as características agora contestadas pela fiscalização ambiental.

“Apreenderam quase todos meus porcos, especialmente aqueles que tinham traços visuais de javaporco e me multaram em R$ 47 mil numa primeira visita e sem qualquer chance de adequação. Deixo claro que minhas atividades têm autorização ambiental, inclusive para criação de porcos”, diz a nota.

Mosaico: norticias.com.br

Imagens da pocilga da Fazenda Vista Alegre e dos porcos apreendidos após inspeção ambiental

O produtor alega desconhecimento da legislação que proíbe a criação de javaporco ou animais com qualquer traço da espécie. Edvaldo Alckmin escora seu argumento no fato de não ter sido incomodado pelos escritórios locais do IMA, da Emater (que não tem poder de fiscalização), autoridades municipais, Sistema Faemg, além de professores universitários, veterinários e todo tipo de visitante e prestadores de serviços que passam habitualmente pela Fazenda Vista Alegre e nunca comentaram a ilicitude da atividade.

“A reprodução sempre foi dentro da própria criação, com porcos mestiços. Nunca entrou animal da fauna silvestre ou houve qualquer risco ao meio ambiente, muito menos a sanidade, muito pelo contrário. Que o diga o IMA, que nos fiscaliza constantemente e tinha total conhecimento da criação”, protesta.

AGRESSIVOS

O javali e sua derivação em javaporco selvagem são dos poucos animais da fauna nacional com autorização para captura e abate a tiros na chamada prática de caça esportiva. A criação de rebanhos de javalis e javaporcos selvagens é proibida no país porque é fonte de prejuízos e preocupa agricultores.

O Senado Federal avalia atualmente projeto de lei de autoria senador Wellington Fagundes (PL-MT), que autoriza o controle populacional de espécies exóticas invasoras nocivas.

A matéria estabelece condições para o consumo, assim como a distribuição e comercialização de subprodutos desses animais. A motivação principal da proposta é oferecer meios de combater a reprodução descontrolada e nociva do javali europeu em território nacional.

AMEAÇA

Resultado do cruzamento de javalis selvagens com suínos domesticados, o javaporco preserva parcela da agressividade do seu antecessor selvagem. A espécie tem reprodução acelerada e potencial para se tornar muito rapidamente uma praga que ameaça propriedades rurais país afora.

O produtor Edvaldo Alckmin reclamou da blitz em sua propriedade com o argumento de que seus animais sempre foram mantidos em cativeiro e jamais invadiram outras fazendas nem tiveram contato com animais à solta.

Créditos: Tribuna do Vale

Imagem de arquivo com javaporcos soltos em plantação de milho no Mato Grosso: prejuízo e risco sanitário

Em Minas, a Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg), entretanto, colabora com forças-tarefa criadas em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) para solucionar os impactos dos ataques dos javalis e javaporcos no Estado pelo desde 2018. Essas espécies têm sido consideradas como problema sanitário porque, quando invadem as fazendas, provocam de devastação de lavouras, morte de pequenos animais, de filhotes de ovelhas e gado, assoreamento de rios e nascentes.

LEIA TAMBÉM:

VISTA ALEGRE: UM OASIS NA ARIDEZ DO SERTÃO

Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar