logo 20182

CAEM AS MÁSCARAS EM MANGA

Ligado .

Uso da proteção facial deixa de ser obrigatório em locais fechados e abertos do município

Ambulâncias aguardam remoção de pacientes da ala clínica do Hospital de Manga durante o auge da pandemia do coronavírus

Pouco mais de dois anos após a chegada do coronavírus ao país, em fevereiro de 2020, um decreto da Prefeitura de Manga colcou fim ao uso obrigatório das máscaras de proteção facial em locais públicos e fechados.

"Fica dispensada a obrigatoriedade do uso de máscara de proteção, em ambientes abertos e fechados, em todo o município de Manga, exceto em ambientes de prestação de serviços de saúde ou similares”, reza o decreto.

Rejeitada pela população no início da pandemia, as máscaras se tornaram parte da paisagem depois que explodiram o número de mortes no país.

Segundo o prefeito Anastácio Guedes (PT), a abolição do uso das máscaras foi possível graças a diminuição dos casos da doença, com a redução significativa dos casos de internação e ao avanço da vacinação na cidade.

ÓBITOS

O primeiro óbito pela covid-19 registrado em Manga aconteceu no início de agosto de 2020, quando os casos confirmados da doença em plano local chegaram aos 75 registros. No saldo atual da pandemia, o número de mortes chegou a 30 - com 1.854 casos de infecção confirmadas.

Já o número de doses da vacina contra o vírus aplicadas o município chegou a 35.233 doses - conforme dados da Secretaria de Saúde, atualizados até a sexta-feira (8 de abril).

Agora vista pelo retrovisor, a pandemia do coronavírius impactou a economia do município e afetou a vida das pessoas.

ISOLAMENTO

A proibição de funcionamento do comércio e da realização de velórios pelo então prefeito Quinquinhas de Quinca de Otílio marcaram fundo o humor da população.

No momento mais difícil da pandemia, o único hospital da cidade ficou sem os principais insumos para o combate à doença, e especial o oxigênio essencial para manter as pessoas vivas.

O hospital, por sinal, herda como legado desses dias negros a ampliação da sua capacidade de atendimento, com os equipamentos da chamada Ala Covid. 

Foram dias difíceis, de luto e dor. Agora, o governo federal propõe transformar o status do coronavírus de pandemia para endemia. Ficam da experiência, o luto das famílias vitimadas pela doença e os dias de isolamento quase total da famílias.

|||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||

OUTRAS SUGESTÕES DE TEXTO SOBRE O MESMO ASSUNTO: 
          

|||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||||


Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar