logo 20182

MANGA HÁ 3 DIAS SEM CASOS DE COVID

Ausência de novas infecções é atribuída ao avanço da vacinação, mas autoridades sanitárias recomendam manter cuidados

O município de Manga, no extremo Norte de Minas, está desde o último domingo (19) sem registros de casos confirmados para o coronavírus. A notícia é boa, claro, e se soma a outra ainda mais importante: nesta quarta-feira, 22, o município atinge a marca de 70 dias sem óbitos para a doença - o último foi no dia 12 de julho.   

A trégua na contaminação pode ser rompida a qualquer momento porque há casos em investigação para a doença. O único hospital da cidade estava até ontem com os 16 leitos da Ala Covid desocupados.

Os três pacientes que estavam isolados até a semana passada no hospital foram liberados após os exames mostrarem que não estavam com a Sars-Cov-2. 

AVANÇO DA VACINAÇÃO

O pior momento da pandemia em Manga aconteceu no mês de março deste ano, quando foram registradas 12 mortes em intervalo pouco superior a um mês. O total de diagnósticos confirmados para a doença no município chegou a 1.513 casos - equivalente a 8,30% do total da população. A pandemia vitimou 27 pessoas até agora, mas o avanço da vacinação parece ter sustado a letalidade da doença.

Os últimos dados informados pela Secretaria de Saúde de Manga dão conta que a vacina contra o coronavírus chegou a número de pessoas superior à própria população (estimada em 18.051 habitantes). 

Até aqui, o município recebeu 22.470 doses do imunizante e já distribuiu 19.204 doses, somadas a primeira e a segunda etapas, além das doses únicas. Concluíram o ciclo vacinal com a aplicação da primeira e segunda doses até agora 6.913 pessoas - o equivalente a 38% da população total.

Apesar de não ter nennum caso de infecção pelo vírus, as autoridades sanitárias do município ressalta que é preciso manter medidas protetivas como o uso das máscaras faciais, higienização das mãos e o uso constante do álcool em gel, além de evitar as aglomerações - especialmente em ambientes com pouca ventilação. 

A pandemia não ficou para trás e, agora mesmo, alguns municípios do país começam a relatar o aumento no número de internações. A preocupação é com a variante Delta, que vai se tornando dominante (com maior recorrência nos diagnósticos) em várias regiões do país.   

Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar