logo 20182

GUEDES VAI AO MDA PARA MUDAR 'LEITE PELA VIDA'

Novo titular da Sedinor vai propor inclusão do leite na merenda escolar

O deputado estadual Paulo Guedes (PT) só vai assumir o cargo de secretário de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor) no início de fevereiro, logo após tomar posse para o que seria seu terceiro mandato consecutivo na Assembleia Legislativa de Minas. Até lá, Guedes diz que vai realizar detalhado levantamento das potencialidades e problemas da pasta.O deputado avalia a possibilidade de aumentar o orçamento da sua pasta no orçamento geral do Estado para 2015, que ainda não foi votado pela Assembleia Legislativa.

Uma das suas primeiras medidas será o pedido de audiência com o ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário), que toma posse nesta terça-feira (6). Durante o encontro, ainda sem data confirmada, o deputado vai levar ao novo ministro algumas propostas de mudança no Leite Pela Vida, programa carro-chefe da Sedinor e que desenvolve em parceria com o MDA com o objetivo de combater a desnutrição e a mortalidade infantil.

O público-alvo são gestantes, criança e idosos, além de gerar renda aos produtores de leite cadastrados no programa. Uma das reivindicações, mais pontual, diz respeito às reclamações de proprietários de laticínios do Norte de Minas por conta de atrasos no pagamento do Leite pela Vida no Estado.

Entressafra

Mas não é só. O novo titular da Sedinor vai propor ao ministro Patrus a inclusão do leite adquirido pelo programa no cardápio da merenda escolar. A medida teria potencial para elevar a entrega diária do produto dos atuais 80 mil litros/dia para algo em torno de 200 mil litros/dia. Outra demanda em pauta é a mudança na remuneração dos produtores, atualmente em R$ 0,97 centavos por litro do leite na porteira da fazenda.

Pelo atual contrato de gestão do programa, válido até o final de 2016, a Sedinor pode comprar até 138 mil litros/dia, mas enfrenta dificuldade para cumprir realizar a demanda, especialmente no período de entressafra, quando os produtores optam por vender o produto pela melhor oferta.

A estiagem que assola a região há três anos reduziu as pastagens e os rebanhos bovinos, dizimados pela fome ou simplesmente vendidos para produtores de outras regiões do país. Outra proposta do deputado Paulo Guedes é o aumento da cota de 20 para 40 litros/dia que os agricultores familiares poderão fornecer para o programa. Segundo Guedes, muitos produtores ficam de fora do programa para não ter que fracionar sua produção.

Adicionar comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar