logo 20182

ALERTA MÁXIMO NA CAIXA D'ÁGUA DO PAÍS

Copasa divulga hoje diagnóstico da gravidade da crise da água em Minas

A nova presidente da Copasa, Sinara Inácio Meireles Chenna, chega ao comando da concessionária mostrando serviço. Sinara convocou a imprensa mineira (e nacional, já que a empresa está listada na Bolsa de Valores) para entrevista coletiva nesta quinta-feira (22/01). A promessa é de apresentar diagnóstico sobre a situação do abastecimento de água no Estado de Minas Gerais.


A
Copasa, que abastece 600 municípios, enfrenta problemas em boa parte deles, como consequência da crise hídrica é a pior dos últimos cem anos. O diagnóstico vai apontar que da vazão dos rios e a ameaça concreta é de que algumas cidades convivam com a falta de água ao longo do ano.

Minas já foi conhecida como "a caixa d'água do Brasil", não é mais. O estado de Minas Gerais pode enfrentar cenário de escassez de água, se não tão grave como o de São Paulo, com potencial já alarmante. Segundo o site 'Brasil2+4+7=13',   o sistema que abastece a Região Metropolitana de Belo Horizonte, o Paraobepa, está secando e o diagnóstico será apresentado nesta quinta-feira por Sinara Meirelles, vai apontar que situação mais crítica é a do reservatório Serra Azul, que opera com 5% da capacidade. O governador Fernando Pimentel lança logo mais plano de combate ao desperdício e redução de consumo. Petistas culpam o  antecessor, Antonio Anastasia (PSDB), por adiar medidas que poderiam ter evitado a crise.

JUNTOS E MISTURADOS

Guedes e Tadeuzinho negam disputa por cargos

Aliados no primeiro governo em Minas: deputados juram que só a guerra que travam é para desenvolver o Norte de Minas

Os deputados estaduais reeleitos e futuros secretários de Estado de Desenvolvimento Econômico do Norte, Noroeste e Vale do Mucuri (Sedinor) e do Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru), respectivamente, Paulo Guedes (PT) e Tadeu Martins Leite (PMDB), negaram, por meio de notas enviadas a este Em Tempo Real, que estejam em disputa pela prerrogativa da indicação de cargos de gerência e coordenação de empresas estaduais no Norte de Minas. A possibilidade de atritos entre os dois aliados foi levantada no post “Em rota de colisão", publicado aqui neste sítio na última quarta-feira.

“Apesar de estarmos em secretarias distintas, temos um grande objetivo em comum, que é o desenvolvimento da nossa região, e é para isso que estamos convergindo todos os nossos trabalhos”, escreveu o petista Paulo Guedes, que ressalta não existir nenhuma disputa de cargos entre os dois. “Estamos em sintonia para começarmos a diminuir as diferenças que ainda separam o Norte das demais regiões do Estado”, complementou Guedes.

O deputado Tadeu Martins, por seu lado, afirma que mantém com o colega petista “diálogo franco e cordial” sobre todos os assuntos que dizem respeito ao Governo do Estado. “É preocupação comum entre nós contribuir para o bom desempenho do novo governo, sem colocar preferências pessoais ou vaidades acima do dever de prestar um bom serviço á população de nossa região e a todos os mineiros”, destacou o futuro titular da Sedru. Tadeuzinho diz que está junto com Paulo Guedes “travar uma verdadeira guerra, não por cargos, mas para aumentar a representatividade e os investimentos para o Norte de Minas neste governo que se inicia”.

Apesar de negar a existência de atritos, a indicação do peemedebista Tadeuzinho não foi bem recebida por petista do norte-mineiro. De resto, o petista Guedes já teve que abrir mão de concorrer à presidência da Assembleia Legislativa, para evitar atritos em nível macro com o partido aliado. O site apurou que, para evitar mal-entendidos, as nomeações para cargos de terceiro e escalões no Norte de Minas vão passar pelo crivo do vice-governador Toninho Andrade e Odair Cunha, os presidentes estaduais do PMDB e PT. Clique na aba 'Leia mais' e confira a íntegra das notas enviadas ao site pelos dois parlamentares:

GUEDES VAI AO MDA PARA MUDAR 'LEITE PELA VIDA'

Novo titular da Sedinor vai propor inclusão do leite na merenda escolar

O deputado estadual Paulo Guedes (PT) só vai assumir o cargo de secretário de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor) no início de fevereiro, logo após tomar posse para o que seria seu terceiro mandato consecutivo na Assembleia Legislativa de Minas. Até lá, Guedes diz que vai realizar detalhado levantamento das potencialidades e problemas da pasta.O deputado avalia a possibilidade de aumentar o orçamento da sua pasta no orçamento geral do Estado para 2015, que ainda não foi votado pela Assembleia Legislativa.

Uma das suas primeiras medidas será o pedido de audiência com o ministro Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário), que toma posse nesta terça-feira (6). Durante o encontro, ainda sem data confirmada, o deputado vai levar ao novo ministro algumas propostas de mudança no Leite Pela Vida, programa carro-chefe da Sedinor e que desenvolve em parceria com o MDA com o objetivo de combater a desnutrição e a mortalidade infantil.

O público-alvo são gestantes, criança e idosos, além de gerar renda aos produtores de leite cadastrados no programa. Uma das reivindicações, mais pontual, diz respeito às reclamações de proprietários de laticínios do Norte de Minas por conta de atrasos no pagamento do Leite pela Vida no Estado.

Entressafra

POSSE EM MINAS

Pimentel toma posse para primeiro governo petista em Minas

Imagem: Osmar Freire/Imprensa Oficial


Entrevista de Pimentel pouco antes da posse: críticas ao período da gestão tucana

O governador eleito Fernando Pimentel foi empossado na manhã desta quinta-feira (1°/01) em cerimônia na Assembleia Legislativa. A cerimônia contou com a presença de parlamentares, autoridades, prefeitos e vereadores, e foi conduzida pelo presidente da ALMG, deputado Dinis Pinheiro (PP). Como de praxe, antes de se tornar governador e vice, Pimentel e Andrade passaram pelos Dragões da Inconfidência da Polícia Militar. Na sequência, o novo governador fez seu discurso na tribuna da ALMG. Deputados estaduais, federais e o prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, estão entre as autoridades que compõem a mesa da cerimônia.

Está será a primeira que o PT administra o Estado, com o detalhe adicional de suceder aos 12 anos de domínio tucano em Minas Gerais. Minutos antes de tomar posse, o ex-ministro Fernando Pimentel aproveitou entrevista que concedeu na chegada à Assembleia Legislativa para criticar a gestão dos tucanos. "Vamos fazer um governo participativo. Vamos abrir o governo para a participação do cidadão e da cidadã. Não vamos governar trancados nos gabinetes", declarou Pimentel, minutos antes de tomar posse oficialmente como o primeiro governador petista de Minas.

Pimentel disse que, já a partir de sexta-feira, 2, sua equipe iniciará uma análise da situação do Executivo, que passa por problemas financeiros. A falta de informações sobre a situação econômica do governo foi uma das principais críticas da equipe de transição do petista ao longo do processo. Mas, segundo Pimentel, a análise não será usada para atacar seus antecessores.

Ao lado do vice-governador Antônio Andrade, Pimentel defendeu que a realização das ações só será possível com a participação popular. Segundo ele, o governo do povo é o que se reinventa e tem como premissa fundamental a de ouvir mais os únicos e verdadeiros donos do poder, os cidadãos de Minas.

“Quero ser o governador que não será uma voz, mas, sim, um porta-voz da vontade popular. Vamos criar e fortalecer canais de participação, de comunicação, de interferência e de influência nas decisões de poder. O governo do povo, o governo que queremos tem que atuar como uma grande e pulsante plataforma realizada interativamente com as pessoas. Essa é a minha missão, esse é o meu compromisso: menos poder para o governo, mais poder para as pessoas. Menos poder para poucos, mais poder para todos”, afirmou.

Minas são muitas

DA ARTE DE ENGOLIR SAPOS

Pimentel nomeia Tadeuzinho para primeiro escalão e desagrada ‘companheiros’ do Norte

                    Imagem: Revista 'Tempo'

Governo de coalizão é isso aí. O deputado estadual reeleito Tadeu Martins Leite, o Tadeuzinho (PMDB), vai ocupar cargo de destaque na linha de frente do primeiro governo petista em Minas Gerais. O governador Fernando Pimentel anunciou na terça-feira (30) os nomes que vão compor seu secretariado. Tadeu Martins será o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru), pasta que é responsável, entre outras coisas, pelas ações para promover o fortalecimento dos municípios mineiros e a melhoria dos serviços públicos nas áreas de saneamento básico, habitação de interesse social e infraestrutura.

Tadeuzinho vai comandar investimentos em obras de saneamento básico e a construção de conjuntos habitacionais, além da elaboração do planejamento de risco em municípios que, historicamente, são afetados pelas chuvas. O cargo é estratégico e de grande potencial de colheita de votos em eleições futuras, porque permite interação constante com prefeitos na elaboração de planos para o desenvolvimento das diversas regiões do Estado, além de parcerias com entidades municipalistas e concessionárias de serviços públicos.

Se o pequeno-infante Tadeuzinho tem bagagem para a missão é de somenos, porque o importante é fechar o butim que cabe ao PMDB na aliança vencedora das eleições nas Alterosas. O PT regional tentou vetar a indicação, mas teve que enfiar a vila no saco. Tadeu Martins chegou a ser cotado para assumir a pasta dos Esportes, assunto que lhe seria mais afim – visto que virou deputado ao patrocinar o time de vôlei de Montes Claros, durante o período de triste lembrança [para muitos, também de lambança] em que o pai Luiz Tadeu Leite (PMDB) governou o município pela última vez.

Cota regional